Era o que Faltava

Temporada 3

2021-12-13

Uma Causa Por Dia

“As redes sociais são uma galeria de arte, temos aqui uma forma de falar das instituições e de as dar a conhecer às pessoas”

 

Foi em plena pandemia que o projeto “Uma Causa Por Dia” surgiu. Duas amigas colocaram mãos à obra e deram asas à imaginação e ao talento. Com o mote “ilustrar por um mundo melhor”, em 2020 foram lançadas 15 ilustrações, uma por dia, para apoiar 15 instituições. Em 2021, o projeto mantém-se. Por cada ilustração vendida, a totalidade do valor, reverte para uma associação! No ano que agora está a terminar, são apoiadas setes associações, e ainda vai a tempo de ajudar! Diana Reis e Maria Reis Rocha estiveram no Era O Que Faltava com João Paulo Sousa.

Conhecem as associações que apoiam como poucos e, embora digam que todo o processo de criação deste projeto foi “um pouco sem noção”, sabem que estão a fazer a diferença nas associações que ajudam.  As causas apoiadas são: o jornalismo independente, questões sociais, ambientais e animais e a saúde mental: “muitas destas associações fazem trabalhos que, de outra forma, não seriam feitos”.

As criadoras de “Uma Causa Por Dia” deixam críticas à atuação estatal face às associações: “a verdade é que, muitas destas associações, estão a fazer um papel que devia ser feito pelo Estado”. Diana Reis e Maria Reis Rocha dizem mesmo que, algumas das organizações que apoiam “veem os seus fundos cortados”. As ilustradoras explicam que durante a pandemia, as instituições “têm em mãos grandes despesas, querem continuar a ajudar - porque é isso que está nos seus genes - e então têm de se desdobrar em angariação de fundos”.

Estas jovens com espírito solidário defendem que se as instituições não tivessem de se preocupar com questões monetárias, o foco de toda a sua ação passaria a estar direcionado para o trabalho que desenvolvem, o que seria mais proveitoso.

Diana e Maria dizem que “as redes sociais são uma galeria de arte” o que as fez refletir: “temos aqui esta ferramenta, temos aqui uma forma de falar das instituições, de as cruzar entre si e de as dar a conhecer às pessoas (…) de uma forma diferentes, através da imagem”. Porém, garantem que qualquer talento ou pessoa com vontade pode pintar e melhorar a vida de quem mais precisa: “o que quer que faças, há sempre uma forma de ajudar” pois o que é preciso é pensar “isto que eu faço, em que é que pode ajudar?”

Para cada causa apoiada há um ou mais padrinhos. Figuras públicas que quiseram juntar a sua forma de arte e o seu talento a este projeto solidário. Diana e Maria reiteram que, embora, por vezes, a solidariedade seja um ato egoísta, ele é, sobretudo, humano e de empatia para com o outro: “estamos todos juntos nisto, não somos independentes uns dos outros, por isso, faz sentido que se a pessoa ao nosso lado não está bem, queremos que fique bem”.

Até dia 15 de dezembro estão à venda as ilustrações cujo 100% das receitas reverte a favor das sete associações escolhidas para este ano; “Fumaça”, “Atlas”, “Cruz Vermelha”; “Corações com Coroa”, “Amorempatia”, “Plataforma Mokobo” e “Quinta Essência”.