Ouça a Rádio Comercial, faça o download da App.

Pink Floyd: canção solidária com a Ucrânia vai ter edição física

'Hey Hey Rise Up', tema que a banda histórica fez para ajudar o povo ucraniano, vai sair em formato físico a 15 de julho.

 Pink Floyd: canção solidária com a Ucrânia vai ter edição física Gregorio Borgia/Associated Press
Redação

Os Pink Floyd preparam-se para lançar duas versões físicas de 'Hey Hey Rise Up' - a canção que fizeram para apoiar a Ucrânia que continua a resistir à invasão russa.

O single, que foi lançado digitalmente em abril, esteve em primeiro lugar nos tops em 27 países. Agora 'Hey Hey Rise Up' vai estar disponível em single 7 e CD single. Ambos os formatos incluem uma nova versão de 'A Great Day For Freedom' retirada do álbum de 1994, "The Division Bell". O single estará disponível em formato físico a 15 de julho.

As receitas angariadas com as vendas da canção revertem para o Ukraine Humanitarian Relief Fund - fundo solidário das Nações Unidas que está a ajudar a população ucraniana afetada pela guerra. 

O tema traz David Gilmour e Nick Mason acompanhados por Guy Pratt, baixista de longa data dos Pink Floyd, Nitin Sawhney nos teclados e apresenta uma performance vocal extraordinária de Andriy Khlyvnyuk da banda ucraniana Boombox.


Sobre a criação deste tema, Gilmour diz: "qualquer guerra, mas particularmente uma guerra que é iniciada por uma superpotência mundial contra uma nação democrática independente, deve gerar em simultâneo enorme raiva e frustração. Como eu disse antes, tenho uma pequena ligação àquele país; a minha nora é da Ucrânia. E a banda Boombox são ucranianos que eu já conhecia, não bem, mas de algum tempo atrás. É uma coisa extremamente difícil, frustrante e irritante que um ser humano possa ter o poder de entrar em outra nação democrática independente e começar a matar a população. É apenas obsceno a um ponto que está além da minha crença".

A capa do single apresenta uma pintura da flor nacional da Ucrânia, o girassol, do artista cubano Yosan Leon. Esta imagem é uma referência direta à mulher que foi filmada para uma reportagem que deu a volta ao mundo dando sementes de girassol aos soldados russos enquanto lhes dizia para eles as colocarem nos bolsos para que, quando morrerem, os girassóis crescessem.