NO AR:

Ministra preocupada com greves no setor mas confiante num entendimento

Depois da apresentação do OE2022, médicos, enfermeiros, farmacêuticos anunciaram greves para outubro e novembro.

LUSA
Redação / Agência Lusa

A ministra da Saúde, Marta Temido, defendeu hoje que debatendo com ?maior profundidade? o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) com as várias classes profissionais, muitas das razões que as levaram a marcar greves fiquem resolvidas.

?Temos a expectativa de que explicando ao longo dos próximos tempos com maior profundidade as soluções que o Orçamento do Estado para 2022 traz e, naturalmente, esperamos que também no processo parlamentar ele possa ainda ser robustecido, estas questões fiquem ultrapassadas?, afirmou Marta Temido à margem do Congresso Nacional de Saúde Materno-infantil ?CMIN Summit?21?, organizado pelo Centro Materno-infantil do Norte (CMIN), no Porto.

Após a apresentação do OE2022, médicos, enfermeiros, técnicos de emergência e farmacêuticos anunciaram greves para outubro e novembro.

A titular da pasta da Saúde referiu que os anúncios das greves trazem três níveis de preocupação, o primeiro dos quais a resposta que é dada às pessoas, nomeadamente o que pode ser posto em causa em termos de atividade assistencial.

O segundo, ressalvou, está relacionado com a motivação dos profissionais de saúde e a forma como estes veem a sua relação de trabalho.

Marta Temido apontou ainda a sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS), lembrando que essa não é sempre garantida, sendo por isso necessário ter cuidado com as escolhas em cada momento.

Sobre o momento em que as greves das diferentes classes são anunciadas, a ministra da Saúde lembrou que o país atravessou um período especial com a pandemia de covid-19 e que, durante esse tempo, os profissionais de saúde não reclamaram muitas das questões que indicam como problemas que se arrastam há longos anos.

?Portanto, neste momento, é natural que esses problemas venham outra vez para cima da mesa e nós cá estamos para os resolver?, afirmou.