Músicos apelam ao governo britânico para salvar a indústria da música ao vivo

Ed Sheeran, Rolling Stones, Coldplay, Dua Lipa ou PJ Harvey entre os 1500 artistas que assinam carta aberta.

Redação
02 julho 2020, 09:39

Ed Sheeran (na foto), Rolling Stones, Coldplay, Sam Smith, Dua Lipa, Nick Cave, Radiohead, PJ Harvey, Rita Ora, Lewis Capldi ou os Cure estão entre os 1500 artistas que assinaram uma carta aberta ao secretário de Estado britânico da cultura, Oliver Dowden, para o governo estabelecer um plano de salvação para a indústria da música ao vivo do país, duramente afetada pela crise pandémica do covid-19.

"Sem fim à vista para o distanciamento social ou para qualquer apoio financeiro já acordado, o futuro parece sombrio para os concertos e festivais e para as centenas de milhares de pessoas que trabalham no ramo”, escreve-se neste apelo. O movimento que dinamiza esta carta aberta, #LetTheMusicPlay, chama a atenção para a necessidade de prevenir a "insolvência em massa e o fim desta indústria mundial de topo", atendendo à impossibilidade da reposição da normalidade neste ano de 2020.

Para este movimento de artistas, o impacto económico desta indústria é significativo ao empregar, só em 2019, 210 mil pessoas, com uma receita total de "quatro mil milhões de libras para a economia britânica". Nesta carta aberta, a #LetTheMusicPlay pede ao governo que não se foque apenas das indústrias do futebol e dos pubs e alargue o seu plano de apoios financeiros à indústria da música ao vivo "para que sobreviva quando a pandemia finalmente terminar".