Era o que Faltava

Temporada 3

2021-12-16

Filipa Pinto Coelho

“Um dia nós vamos agir de forma tão natural com esta realidade, que vai ser estranho falar de inclusão”.

 

É filha de um dos médicos mais conhecidos de Portugal e mãe do menino mais especial do mundo, o Manuel. Foi nos seus olhos que viu que “está tudo bem” e é com ele que aprende todos os dias. É criadora do projeto Vilacom Vida e um dos cafés mais incríveis que Lisboa já viu, o café Joyneux. Filipa Pinto Coelho acredita que um dia a diferença deixará de existir e que fará, genuinamente, parte de nós. Filipa Pinto Coelho, a mulher que trocou o marketing e a comunicação, pelos projetos que visa que pessoas com deficiências cognitivas, se tornem uma geração autónoma, esteva no Era O Que Faltava, com João Paulo Sousa e Ana Martins!

O Manuel tem 5 anos e é portador de Síndrome de Down. Foi ele que lançou a mãe nesta grande aventura de tornar, em algum momento, a diferença numa não questão: “um dia nos vamos agir de forma tão natural com esta realidade, que um dia vai ser estranho falar de inclusão”. Quando soube da condição do seu filho, duvidou, mas garante que assim que sentiu o “sim” tudo mudou na sua vida, para melhor. Filipa Pinto Coelho fala da necessidade de superar medos e de destruir preconceitos pré-existentes: “Nós temos medo daquilo que não conhecemos […] e quando acontece connosco não estamos à espera. Este projeto nasceu com a vontade de dar a volta”:

É na Calçada da Estrela que fica o Café Joyneur. O café que tem como objetivo fazer com que o cliente deixe estranhar o cliente quem o serve. Este projeto surgiu em França e agora está na capital portuguesa. A equipa que dele faz parte, primeiro é empregada e depois formada. Ali vive-se o verdadeiro conceito de equipa e onde se torna o trabalho mais humano: “Nós em 18 meses (…) nunca tivemos uma falta ao trabalho por parte de ninguém da equipa (…) moral da história: é preciso propósito”.

Filipa Pinto Coelho tem o sonho de formar gerações autónomas e diz que não se deve ter pena. Afirma que as pessoas com algum tipo de necessidade cognitiva são muito mais dadas e são muito felizes. Fazem o seu trabalho com muito foco e rigor e são capazes de fazer aquilo que muitos não conseguem, ser eles próprios: “dizer eu aqui posso ser quem sou é uma frase assim tão diferente daquilo que qualquer pessoa queria dizer?”.

No dia 19 de dezembro, vai haver um concerto solidário, online e conta com artistas como João Pedro Pais, João Só, Tiago Bettencourt, Bárbara Tinoco, Anjos, etc. É através dos donativos e de iniciativas como estas que mais cafés com este mote podem abrir portas.