Era o que Faltava

Temporada 3

2022-01-19

Adriano Luz

“Estava tão tenso a representar, que tinha mais contraturas do que prazer”

“Descobri que o prazer na representação é uma coisa que demora o seu tempo”, afirmou Adriano Luz, no Era o Que Faltava, ao falar sobre a entrada e interesse no mundo da representação, que não foi nada imediata. Quis ser jogador de futebol até ao 25 de abril, depois andou pela política e pelo canto, até chegar ao teatro. E ao início, “estava tão tenso a representar, que tinha mais contraturas do que prazer”.

Com vários anos de experiência em representação, o ator de 62 anos acredita que “os atores não se podem reformar, a vida é que os pode reformar. Mesmo havendo pouco trabalho para as pessoas mais velhas, a ficção precisa sempre delas”.

 

À conversa com João Paulo Sousa e Ana Delgado Martins, Adriano Luz falou também de uma viagem que fez com os amigos, pela Europa, onde as coisas não correram como esperado: “A carrinha avariou muitas vezes e depois perdeu a embraiagem. Nós nem em França, nem na Alemanha, nem em lado nenhum conseguimos encontrar peças para a carrinha. Então voltamos com a carrinha sem embraiagem, o que é que acontece? Para ela começar a andar nós tínhamos que sair do carro. Parávamos num semáforo, lá saíamos todos da carrinha para empurrar, se dávamos boleia a alguém, tinha de entrar com a carrinha a andar!”