NO AR:

Era o que Faltava

Temporada 2

2021-06-21

Daniela Ruah

Quando nas revistas mencionam o facto de ser judia, “é absurdo! Dizem o nome do artista, ponto final e continuam”

Daniela Ruah nasceu em Boston, mas aos 6 anos veio para Portugal, o país dos seus pais. Fez o ensino secundário por cá, antes de partir em busca de mais mundo: primeiro, estudou representação em Londres, depois em Nova Iorque, até aterrar numa das séries mais resistentes da televisão norte-americana: “Investigação criminal - Los Angeles, que já vai na temporada 12. Por esta altura, calculamos que já tenha conhecido a versão bad ass de Daniela Ruah no papel de Kensi.

O que talvez não saiba é que Daniela Ruah também é realizadora e está em Portugal para filmar um dos telefilmes da RTP1 da saga "Contado por Mulheres". O filme que está a realizar chama-se “Os Vivos, o Morto e o Peixe Frito”, baseado numa história de Ondjaki.

Daniela Ruah vem de uma família judia e diz que já sentiu racismo, “não na cara, mas escrito sim”. É uma coisa tão sistémica que “quando se escreve sobre o assunto nem se percebe que está a ser racista”.

Para a atriz não faz sentido que quando escrevem sobre ela mencionem a religião ou a cultura, “é absurdo! Dizem o nome do artista, ponto final e continuam”. Daniela diz que a necessidade de destacar a diferença, “não é necessariamente pelo bom sentido, também não dizem mal, mas também não é pelo bom sentido, é para assinalar”.