Ai Destino, Ai Destino

Temporada 1

2020-05-26

Arronches com Diamantino Martins

Quando era miúdo jogava aos países, começou a trabalhar na área de turismo depois de ter organizado a sua própria viagem de finalistas e lançou, no ano passado, o livro “Around the World - A Viagem dos 50 Anos”. Para alguém que já deu a volta ao mundo e que já visitou 144 países diferentes (só ao Brasil foi 106 vezes!), ficar parado é uma hipótese de valorizar o nosso maravilhoso país.

Diamantino Martins é relações públicas e empresário na área do turismo e acha que, este ano, a tendência para as férias será procurar uma casa de campo que, pelo menos, tenha água: se não for piscina, até pode ser tanque. A condição é ter pouca gente. Por isso mesmo, recomenda o local onde cresceu: Arronches, muito perto da fronteira com Espanha, no sopé da Serra de São Mamede, a duas horas e meia de Lisboa. ALERTA: este podcast tem as melhores recomendações gastronómicas da zona, e vai também levá-lo a uma reconstituição da volta ao mundo (incluindo quando aterrou em Tóquio e estavam 6 graus negativos - ele, de t-shirt, levou uma coberta da executiva do avião para se tapar).

 

7 delícias a não perder em Arronches (e Alto Alentejo):

 

1.O restaurante A Estalagem, em Arronches, tem a melhor sopa de cação do mundo. É curioso que um prato típico do Alentejo seja feito com peixe do mar.

2. Ali na zona, pescam-se carpas e achigãs na Barragem do Caia. Se quiser aprender a pescar, é agora.

3. Na Terrugem, o melhor cozido de grão é servido num tarro de cortiça. Já a perdiz de escabeche, tem de ligar a perguntar se há. Ali perto, prove as empadas de perdiz em Estremoz. O Diamantino diz-lhe o melhor restaurante para tudo isso.

4. Atravesse a ponte internacional mais pequena do mundo em Marco / El Marco, uma aldeia que é metade portuguesa, metade espanhola, separada pelo Rio Abrilongo. A divisão é feita por uma ponte de madeira pequenina.

5. Também ali na zona: Portalegre, Marvão, Castelo de Vide, Campo Maior, tudo tranquilo, bonito e perto. Mas também Albuquerque ou Badajoz, já do lado de lá da fronteira.

6. O Diamantino também tem um turismo de habitação em Arronches, chamado Herdade dos Moreiros.

7. Antigamente íamos aos caramelos a Espanha, agora é mais colocar combustível para regressar a casa de barriga cheia.