Regresso à normalidade? "Enquanto não existir vacina, será gradual"

Tiago Correia, professor do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa, antevê uma nova normalidade nos próximos meses.

Redação
14 abril 2020, 09:49

Portugal ainda vive os efeitos da pandemia de Covid-19, mas o recente desacelerar de novos casos faz com que já se fale num regresso à normalidade.

Este regresso à normalidade faz-nos, por vezes, antever uma vida igual aquela que tínhamos antes da pandemia, mas tal não irá acontecer.

O professor do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa, Tiago Correia, avisa que as medidas restritivas são para manter e que apenas gradualmente podemos dar passos rumo a uma nova normalidade.

 

 

A Covid-19 apanhou vários países de surpresa, perante o crescimento exponencial do número de infetados e de óbitos, mas o futuro do planeta irá passar por realidades como estas.

O professor Tiago Correia, admite que depois desta pandemia irão surgir outras assentes em novos vírus ou em novas estirpes de coronavírus.

 

 

O caso português tem sido apontado como de sucesso pela imprensa internacional devido ao número contido de óbitos e de casos internados.

Aparentemente o país está bem, mas pode ainda não ter passado pela fase de planalto.

 

 

Os números, esses, são analisados todos os dias e o principal foco vai para o total de novos casos.

Para o professor Tiago Correia, a análise terá de ser feita, sempre, a partir do número de óbitos e de internados nos cuidados intensivos para que se entenda a real evolução da pandemia.

 

 

Portugal regista 535 mortes e 188 doentes nos cuidados intensivos.