Descoberta a poeira mais antiga da Terra

Os cientistas descobriram, num meteorito, uma poeira estelar. O material é o mais antigo encontrado na Terra até agora.

Redação
14 janeiro 2020, 14:40

Um grupo de cientistas descobriu, num meteorito, uma poeira estelar (pequena partícula que se encontra em todo o Sistema Solar) que é o material mais antigo conhecido da Terra, segundo anunciou o Field Museum, de Chicago, nos Estados Unidos da América. 

Esta poeira terá caído na Austrália em 1969 e os cientistas estimam que tenha cerca de 7 milhões de anos, sendo mais antiga do que o Sol, que se estima que tenha 4,6 milhões de anos. 

Philip Heck, principal autor da investigação, curador do Field Museum e professor associado da Universidade de Chicago, disse, em declarações citadas num comunicado de imprensa do museu, que "é o material sólido mais antigo já encontrado e conta-nos como é que as estrelas se formaram na nossa galáxia". 

De acordo com os investigadores, os grãos pré-solares são encontrados em apenas 5% dos meteoritos que caem na Terra. Quando as estrelas morrem, as partículas que as formavam são lançadas para o espaço e, depois,  incorporadas em novas estrelas, planetas, luas ou meteoritos. Foi o caso desta poeira. 

Num comunicado do Field Museum, Jennika Greer, estudante do Field Museum e da Universidade de Chicago e coautora do estudo, refere que começaram pela "trituração de fragmentos do meteorito", para depois obter uma pasta, que "cheira a manteiga de amendoim podre". Essa pasta, após ser dissolvida em ácido, vai dar origem aos grãos pré-solares.

A maioria dos grãos pré-solares estudados têm cerca de um micrómetro de comprimento. No entanto, para este estudo, os cientistas analisaram grãos com 2 a 30 micrómetros de comprimento, possíveis de analisar com microscópios óticos.  

 

 

Para descobrir a idade destes grãos, os cientistas quantificam o tempo de exposição a raios cósmicos. Segundo Philip Heck, "quanto mais tempo estiverem expostos, mais elementos se formam". Refere, ainda, que "com este estudo, determinamos diretamente a vida útil da poeira estelar".