GNR, Dead Combo, The Black Mamba e Carolina Deslandes no Montepio Às Vezes o Amor

O festival acontece nos dias 14 e 15 de fevereiro em treze salas do país. Aurea, Mafalda Veiga, Viviane, João Pedro Pais, Tiago Bettencourt, Amor Electro, Marco Rodrigues e a banda Variações são os restantes nomes do cartaz.

03 de dezembro de 2019 às 12:09GNR, Dead Combo, The Black Mamba e Carolina Deslandes no Montepio Às Vezes o Amor


É a sexta edição do Festival Montepio Às Vezes o Amor. O festival de música do Dia dos Namorados vai decorrer nos dias 14 e 15 de fevereiro de 2020 e vai "espalhar" a música portuguesa por treze salas do país, divididas por doze cidades

No cartaz da próxima edição, há estreias de peso como os GNR, Dead Combo, Carolina Deslandes, Marco Rodrigues, The Black Mamba, Viviane (cantando Édith Piaf) e a banda do filme Variações. Além dos nomes que vão participar pela primeira vez no festival, também vai haver concertos de músicos que têm estado ligados ao evento em edições anteriores. É o caso de João Pedro Pais, que acompanha o festival desde os primeiros passos. Amor Electro, Mafalda Veiga, Aurea e Tiago Bettencourt são os outros nomes que voltam aos palcos intimistas no Dia de São Valentim.   

Ontem foi a apresentação oficial da 6ª edição do festival. No espaço Atmosferas, em Lisboa, estiveram alguns dos artistas que vão aquecer as duas noites de fevereiro. Antes de lhes passarmos a palavra, importa saber mais sobre o evento que continua a dedicar-se ao amor à música que se faz por cá.  

Para o diretor do Montepio Às Vezes o Amor, Luís Pardelha, a preocupação é a mesma todos os anos: ter o melhor cartaz. "Acho que os artistas mais importantes da música portuguesa já passaram por este festival. Se não passaram todos, passaram quase todos. Continuamos com a mesma ambição: 'apresentar um cartaz melhor que o ano anterior'. (...) Acho que conseguimos sempre trazer pessoas novas para o festival e repetir artistas que já passaram por cá e quiseram voltar porque são espetáculos que correm sempre muito bem. É como quando os artistas fazem um disco. O melhor é sempre o último. Para mim, o melhor cartaz deste festival é este". 

 

 

Lisboa, Porto, Leiria, Coimbra, Aveiro, Braga, Santarém, Setúbal, Vila do Conde, Lagoa, Castelo Branco e Caldas de Rainha são as cidades que vão receber os artistas da edição de 2020. A ideia continua a ser a de levar a música portuguesa a palcos de norte a sul do país. Luís Pardelha sublinha a importância da descentralização do festival, um dos pontos principais do conceito do evento desde a génese. "Foi o ponto de partida para este projeto. (...)  O país tem tanta gente interessada na música portuguesa que, de alguma forma, até foi fácil conseguir fazer essa descentralização. Existe uma grande recetividade de outras cidades [que não Lisboa e Porto] que acabam por não ter tantos eventos de âmbito nacional, vamos dizer assim".  

 

 

Os GNR vão fazer a estreia no Montepio Às Vezes o Amor com dois grandes concertos nos Coliseus de Lisboa e do Porto. No dia 14, sobem ao palco da sala da Invicta, no dia 15 é a vez do Coliseu de Lisboa. Rui Reininho e Tóli César Machado estiveram também no espaço Atmosferas. A banda histórica vai levar ao palco dos Coliseus um espetáculo novo que já está a ensaiar. Tóli Machado disse-nos que será uma ótima oportunidade para mostrar a Lisboa e ao Porto o que andam a fazer ultimamente. Quanto ao tema do festival do Dia dos Namorados, para Rui Reininho a ligação é muito simples: fazer música também é fazer amor.

 



"Este cartaz tem coisas muito apetecíveis", disse Reininho, enquanto passava os olhos pelo cartaz. O homem dos GNR elogiou a ideia do evento e voltou a falar... de amor.
 

 

Os Dead Combo são mais uma estreia no festival. No dia 14 de fevereiro, vão subir ao palco do Capitólio, em Lisboa. Será a primeira e a última vez. O concerto fará parte da digressão de despedida dos palcos de Tó Trips e Pedro Gonçalves. 

"É um voltar às origens, só com os dois em palco que é algo que não fazemos há uns anos valentes. É também um revisitar de temas antigos, músicas que já não tocamos há muito tempo. Nós tínhamos sempre uns cenários cuidados - e continuamos a cuidar - mas desta vez resolvemos despir tudo. É uma maneira de dizer adeus. Dizer: 'isto somos nós quando começámos'. É uma celebração de 16 ou 17 anos de música. Tem de ser uma festa, não pode uma coisa saudosa nem triste", disse-nos Pedro Gonçalves. 
 




The Black Mamba vão levar a "Good Times Tour" às Caldas da Rainha. Conversámos com Pedro Tatanka e Miguel Casais sobre o concerto que vão dar no âmbito do festival. Por falar nisso, a banda está recetiva a eventuais pedidos de casamento do público. Uma nota importante para os apaixonados. Para Tatanka, o tema "amor" assenta que "nem uma luva" com o alinhamento que será preparado para a noite de 15 de fevereiro
 



João Pedro Pais é o nome do cartaz de 2020 que toca há mais tempo no festival do amor. No dia 14 de fevereiro, em Coimbra, o músico promete "ir direto ao assunto". João Pedro Pais diz que vai passar pelo álbum novo, "Confidências", mas não vai esquecer as canções mais antigas. O alinhamento será feito a pensar no público e nas canções que todos querem ouvir.

 



Mafalda Veiga também não é novata nestas andanças. A cantora confidenciou-nos que a "experiência tem sido ótima." Os espetáculos têm sido "muito bonitos e calorosos". Desta vez, e ao contrário do que tem acontecido, Mafalda Veiga vai levar uma banda para o palco para a festa ser ainda maior. Quanto ao tema incontornável do amor, a cantora disse-nos que, neste momento, "o amor já é um problema político. Tudo o que nos convoque para o bem e para estarmos juntos, para celebrarmos a vida de uma forma boa e em amor, uns pelos outros, em vez de ressentimentos e ódios e desunião é muito válido. (...) A música tem esse papel. Convoca-nos para um coletivo de bem, para uma força. Por isso é que a música é uma arma, como tantos já disseram".

 



Marco Rodrigues vai estar no Montepio Às Vezes o Amor pela primeira vez em nome próprio. O fadista, que vai subir ao palco do Auditório Carlos do Carmo (Lagoa) a 15 de fevereiro, sublinha a atmosfera especial dos concertos no dia dos namorados
 



Nos dias 14 e 15 de fevereiro, vai haver música portuguesa para todos os gostos. E muito amor, claro! Tome nota dos espetáculos nas várias salas do país:

Dia 14: GNR no Coliseu do Porto, Dead Combo no Capitólio (Lisboa), Banda do filme Variações no Teatro José Lúcio da Silva (Leiria), Mafalda Veiga no Teatro Aveirense (Aveiro), João Pedro Pais no Convento São Francisco (Coimbra), Amor Electro no Altice Fórum (Braga), Tiago Bettencourt no Teatro Sá da Bandeira (Santarém), Viviane canta Piaf no Fórum Municipal Luísa Todi (Setúbal) e Aurea no Teatro Municipal de Vila do Conde (Vila do Conde). 

Dia 15: GNR no Coliseu dos Recreios (Lisboa), Marco Rodrigues no Auditório Municipal Carlos do Carmo (Lagoa), Carolina Deslandes no Cine-Teatro Avenida (Castelo Branco) e The Black Mamba no Centro Cultural e Congressos (Caldas da Rainha).

 

  • Partilhar

Caso tenha algum comentário a fazer:

Back to Top