M83 no NOS Alive: antes do duelo futebolístico, portugueses e franceses estiveram em comunhão musical

M83 fechou as actuações no palco maior do NOS Alive já com a selecção portuguesa a alimentar conversas.

Daniela Azevedo
10 julho 2016, 10:45
Depois do anúncio que confirmou o regresso do festival NOS Alive ao Passeio Marítimo de Algés em 2017, O ambiente já começava a ganhar o tom de despedida a este ano mas, claro, uma despedida em festa ou não tivesse sido este o espírito desde o primeiro minuto.
 
O festival fechou, no palco NOS, com a actuação dos franceses de rock electrónico M83. As novidades não se fizeram esperar com a banda a escolher para uma das primeiras da noite a música 'Do It, Try It', representativa do mais recente álbum, já deste ano, "Junk". Uma imensa multidão vibrava e aplaudia os M83, ainda que de forma descomprometida, com uma cerveja na mão ou a atravessar o recinto e assegurar que a festa não terminava sem se visitarem todos os stands promocionais e de apoio ao festival.

Os concertos dos M83 nem sempre foram assim tão procurados. Em 2001, quando lançaram o seu primeiro álbum, homónimo, as editoras não lhes deram muita atenção. Os anos seguintes continuaram a ser marcados por músicas sombrias e uma presença relativamente discreta no mundo da música mas, em 2011, a tabela de venda de discos americana, Billboard, finalmente reparou neles e o sucesso começou a crescer. Nos seus trabalhos nota-se uma grande influência dos Air, com quem o líder do grupo, Gonzalez, colaborou, e que lhes confere uma certa natureza etérea de vez em quando.

Muitos efeitos e vozes frequentemente gritadas sobre os instrumentos, deram o mote ao concerto de estreia do francês Anthony Gonzalez no Alive, que teve momentos altos de euforia dos fãs. O mais recente álbum chama-se "Junk", precisamente porque o francês queria conferir-lhe um ar mais punk, e foi o trabalho que mais atenção mereceu na escolha dos temas aqui trazidos, numa noite (já madrugada) em que muitas das atenções e das conversas já só referiam a final do Europeu de futebol que hoje põe frente a frente Portugal e França. A propósito, alguém se lembra do que aconteceu há 16 anos?

'Midnight City', um dos recentes e surpreendentes sucessos de M83 (a música foi composta em cerca de três horas), é só mais um dos que destacou a presença do baixo e do saxofone, misturados com teclados e sintetizadores, que conferem o tal pretendido psicadelismo ao concerto. Depois de 15 anos no negócio da música, Gonzalez está finalmente a actuar para as multidões que tanto queria.

E Portugal, como é? Já tirámos as t-shirts do Alive para empunhar as bandeiras das cores lusas? NOS Alive, até para o ano!

Fotos: Joana Baptista