Ouça a Rádio Comercial, faça o download da App.

Grammys: Harry Styles e Beyoncé são os grandes vencedores

Queen Bey torna-se a recordista histórica dos Grammys, com 32 prémios vencidos em toda a carreira.

Grammys: Harry Styles e Beyoncé são os grandes vencedoresAssociated Press
Redação

A 65ª cerimónia dos Grammys teve um desfecho salomónico, com quatro artistas diferentes a vencerem as quatro categorias principais.

O Grammy de Álbum do Ano foi entregue a Harry Styles, pela obra discográfica "Harry’s House". O cantor inglês amealha ao todo três Grammys graças a "Harry's House", incluindo as vitórias nas categorias de Melhor Álbum Pop Vocal e Álbum Não-Clássico com Melhor Engenharia de Som. No discurso de vitória do Grammy de Álbum do Ano, Harry Styles apelou a modéstia: "não há essa coisa de se ser melhor em música. Não acredito que algum de nós tome decisões no estúdio para poder ganhar um (prémio) destes".

 

Lizzo venceu o Grammy de Gravação do Ano, pelo tema 'About Damn Time'. No inflamado discurso de vitória, Lizzo aclamou Beyoncé como "a artista das nossas vidas", sem esquecer Prince, referido como uma inspiração.

O Grammy de Canção do Ano foi parar às mãos de Bonnie Rait, por intermédio da música 'Just Like That'. A cantora veterana ainda venceu mais dois Grammys, ambos circunscritos ao género americana (ligado ao country). 

A cantora norte-americana Samara Joy foi outra das grandes vencedoras da cerimónia, ao vencer o Grammy de Melhor Revelação, derrotando poderosos nomeados como a brasileira Anitta, os italianos Måneskin ou dupla indie-rocker inglesa Wet Leg. A juntar à grafonola dourada de Melhor Revelação, Samara Joy venceu ainda o Grammy de Melhor Álbum de Jazz Vocal, pelo disco "Linger Awhile".

 

Apesar de não ter vencido nas categorias principais, Beyoncé é a grande colecionadora de Grammys da noite, quatro ao todo, e torna-se na recordista histórica de Grammys, 32 em toda a carreira, ultrapassando o maestro anglo-húngaro Georg Solti. 

Os Grammys que venceu esta noite são todos de géneros: Melhor Gravação de Eletrónica ('Break My Soul'), Melhor Álbum de Eletrónica ("Renaissance"), Melhor Interpretação de R&B Tradicional ('Plastic Off the Sofa') e Melhor Canção de R&B ('Cuff It').

A vitória que lhe permitiu o recorde absoluto de Grammys foi na categoria de Melhor Gravação de Eletrónica. Na hora da vitória, Beyoncé agradeceu "à comunidade queer, pelo vosso amor e por terem inventado este género".


Apesar de ter perdido a grande parte das nomeações, Adele não saiu do Crypto.com Arena de mãos a abanar, tendo vencido na categoria de Melhor Interpretação Pop a Solo, com 'Easy on Me'. Já os Grammys de Melhor Interpretação Pop em Duo ou Grupo e de Melhor Álbum Vocal de Pop Tradicional foram atribuidos respetivamente a Sam Smith & Kim Petras (por 'Unholy') e a Michael Bublé (por "Higher").

Houve vários dominadores de género entre os vencedores dos Grammys. Kendrick Lamar ganhou três grafonolas douradas na áreia do rap, as Wet Leg reinaram nos prémios alternativos com dois Grammys e Willie Nelson também se destacou na área do country com dois prémios.

 

Podem ver neste link a lista completa dos vencedores dos Grammys.