Ouça a Rádio Comercial, faça o download da App.

"É desumano jogar 72 horas depois do último jogo", diz Paulo Bento

A Coreia do Sul, que defrontou Portugal na sexta-feira, vai jogar com o Brasil esta segunda-feira.

"É desumano jogar 72 horas depois do último jogo", diz Paulo BentoEPA/RUNGROJ YONGRIT
Agência Lusa

O selecionador da Coreia do Sul, o português Paulo Bento, considerou hoje "desumano" o tempo que medeia entre os jogos com Portugal e o Brasil no Mundial2022 de futebol, lamentando a posição da FIFA nesta questão.

"Não me lembro de algo assim. Estive a ver o que sucedeu em 2018 e não me lembro de haver jogos com 72 horas de diferença entre eles. Houve quatro ou cinco dias, mas não 72 horas. É desumano, não é justo", começou por dizer o técnico, na conferência de imprensa de antevisão ao encontro com o Brasil, dos oitavos de final.

Após terem defrontado Portugal na sexta-feira, na última jornada da fase de grupos, os sul-coreanos, que foram segundos colocados do Grupo H, têm duelo agendado com os brasileiros na segunda-feira, ou seja três dias após o confronto com a equipa das 'quinas'.

"Temos de viver com esta realidade que a FIFA pretende, que é criar menos condições para quem já tem menos condições, e mais condições para quem já tem mais. Já é difícil competir contra uma grande seleção como o Brasil, para mim o mais forte candidato a ser campeão do mundo, mas com estes constrangimentos mais difícil será a nossa tarefa. No entanto, vamos tentar e não vamos desistir", referiu Paulo Bento, no Centro Nacional de Congressos do Catar.

De resto, o selecionador da Coreia do Sul confessou que a preparação para o jogo dos oitavos de final foi feita "através do vídeo", uma vez que não houve tempo para treinar e é "impossível preparar um jogo destes no campo, jogando após 72 horas" e perante um adversário que já estava apurado e que aproveitou para rodar a equipa toda no derradeiro jogo no grupo.

"Ninguém o consegue fazer, após o desgaste físico e emocional que tivemos no jogo anterior. Cria um constrangimento grande às equipas, e a nós mais do que ao Brasil, pela forma como a equipa brasileira mexeu na equipa no último jogo", lamentou.

Por outro lado, Paulo Bento, que não pôde falar após o encontro com Portugal, por estar castigado, confessou que sentiu "uma carga emocional" elevada, não só por estarem em jogo "os objetivos desportivos" da seleção sul-coreana, mas também pelo facto de a última e decisiva partida do Grupo H ter sido contra o seu país.

Brasil e Coreia do Sul defrontam-se nos oitavos de final do Mundial2022, na segunda-feira, a partir das 22h00 locais (19h00 em Lisboa), no Estádio 974, em Doha.

Os brasileiros venceram o Grupo G, com seis pontos, à frente da Suíça, que vai defrontar Portugal, enquanto os sul-coreanos foram segundos colocados no Grupo H, com quatro pontos, atrás da seleção portuguesa.