Ouça a Rádio Comercial, faça o download da App.

Alemães tapam a boca na fotografia antes do jogo com Japão

Protesto da seleção germânica contra políticas da FIFA.

Alemães tapam a boca na fotografia antes do jogo com JapãoEPA
Agência Lusa

Os jogadores da seleção alemã de futebol taparam hoje a boca com as mãos na fotografia que tiraram antes do jogo do com Japão, na estreia no Mundial2022, numa alegada ação de protesto contra a FIFA.

Os 11 futebolistas escolhidos para alinhar de início perfilaram-se junto aos fotógrafos para a habitual fotografia antes do início da partida, mas com a particularidade de todos taparem a boca.

Sete seleções europeias, entre quais a da Alemanha, pretendiam utilizar no Mundial2022 uma braçadeira de capitão com a inscrição 'One Love' (um amor), em alusão à igualdade, mas a FIFA proibiu essa utilização, ameaçando com sanções.

Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Países Baixos e Suíça dispensaram, então, os seus 'capitães' do uso da braçadeira, face à possibilidade de serem penalizados, mas referiram estar "frustrados" com a inflexibilidade demonstrada pela FIFA.

A federação alemã de futebol, bem como o governo do país, foram alguns dos que criticaram a decisão da FIFA de impedir a utilização das braçadeiras.

O organismo que rege o futebol mundial decidiu, então, adiantar a campanha "Não à discriminação", prevista inicialmente para a partir dos quartos de final do Mundial2022, a fim de permitir que os 32 capitães das seleções possam usar essa braçadeira durante o torneio.

Desde que foi escolhido para organizar o Mundial2022 de futebol, que se iniciou no domingo e decorrerá até 18 de dezembro, o Qatar tem sido alvo de várias críticas, nomeadamente no que diz respeito às suas posições em matéria de direitos humanos, das questões LGBTQ+ e de abuso sobre os trabalhadores migrantes.

Perante este contexto, algumas federações uniram-se em setembro na vontade de se expressarem com a iniciativa 'One Love', defensora de igualdade, em que eram apologistas do uso simbólico de uma braçadeira com a inscrição e as cores do arco-íris.

O Qatar, o primeiro país do Médio Oriente a organizar um campeonato do Mundo de futebol, garantiu que todos os adeptos são bem-vindos, sem discriminação, porém a lei do país criminaliza a homossexualidade.