Ouça a Rádio Comercial, faça o download da App.

A1 vai ter saída para Bobadela e São João da Talha

A futura ligação, sem portagem, está prevista para 2025.

A1 vai ter saída para Bobadela e São João da Talha
Redação / Agência Lusa

A Câmara de Loures aprovou esta quarta-feira um protocolo com a Brisa e com o Instituto Superior Técnico para a construção de uma saída da Autoestrada do Norte (A1) para as localidades de Bobadela e São João da Talha.

O documento foi aprovado esta tarde, por unanimidade, durante a reunião do executivo camarário daquele município do distrito de Lisboa, presidido pelo socialista Ricardo Leão.

A futura ligação rodoviária, sem portagem, será construída no sublanço da A1 entre os nós de Sacavém e Santa Iria da Azóia, articulando-se com a rede viária municipal, através de um novo ramo com uma extensão de cerca de 600 metros, com ligação direta à Estrada Municipal 504 (EM504), que será alargada e prolongada até à Estrada Nacional 10 (EN10).

No final da reunião, em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Loures, Ricardo Leão (PS), explicou que os custos para a concretização desta ligação rodoviária serão suportados pelo município, "dada a importância e a urgência da obra", pese embora "as críticas da oposição" (CDU).

"Há investimentos que não podem esperar mais. Este é um deles. Convido-os a todos a passar, pelas 17h00, ali em Sacavém, junto à rotunda do Real Forte, e veem que já ninguém consegue passar. As pessoas que vivem na Bobadela e em São João da Talha é por aí que vão. Portanto, esta saída é determinante para os milhares de pessoas que ali vivem", justificou.

O autarca estima que a adjudicação da obra possa ocorrer no último trimestre de 2023 e a conclusão dos trabalhos durante o primeiro trimestre de 2025.

De acordo com os termos do acordo, a Câmara Municipal de Loures será responsável pela construção do novo acesso, cabendo à Brisa os custos com a fiscalização do projeto e o acompanhamento da execução da obra.

Já o acordo com o Instituto Superior Técnico permite que a autarquia utilize parcelas de terreno da Quinta dos Remédio, propriedade desta entidade, necessárias para a execução da via de ligação entre o novo acesso à A1 e a EN10.