Ouça a Rádio Comercial, faça o download da App.

Nuno Markl e César Mourão, que estiveram no programa de Jô Soares, reagem à morte do humorista

O escritor e humorista brasileiro morreu esta sexta-feira, aos 84 anos, no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

Nuno Markl e César Mourão, que estiveram no programa de Jô Soares, reagem à morte do humorista
Redação

Ricardo Araújo Pereira, Nuno Markl ou César Mourão estão na lista dos portugueses que se sentaram à conversa com Jô Soares no famoso "Programa do Jô". Ricardo Araújo Pereira foi convidado do humorista brasileiro em 2012. Nuno Markl e César Mourão sentaram-se no sofá do Jô Soares em 2013. 

Nuno Markl relembra o humorista mas também o homem porreiro que encontrou quando esteve no Brasil. "Faz parte de um caldeirão de referências dos anos 70 e 80 que acabaram por ser muito ricos. Ele conseguia pegar na tradição do humor brasileiro, que é um humor muito entusiástico, intenso e, de certa maneira, muito popular, e dava-lhe um lado sofisticado e surreal. Era muito divertido. Tinha personagens absolutamente extraordinárias. Era camaleónico. É uma perda gigante. Sinto-me muito felizardo por ter conhecido o Jô Soares, por ter estado no programa dele em 2013 e por ter percebido que ele também era um tipo extraordinariamente porreiro". 


César Mourão, que também esteve no programa do escritor e humorista, sublinhou a genialidade, a perspicácia ou a bagagem cultural do exímio entrevistador. "Era um dos maiores humoristas do Brasil e talvez um dos maiores humoristas do mundo. Tive a sorte e a felicidade de conhecê-lo, de ter sido convidado para ir ao programa dele. Era alguém com uma perspicácia e inteligência fora de série, além da bagagem cultural que tinha e que lhe permitia fazer as inúmeras entrevistas que fez, sempre com essa nota de rapidez e inteligência", disse o comediante português. 


"O Jô Soares trabalhou até aos 80 anos, aproximadamente. Conseguiu apanhar várias gerações. É impossível não ficarmos contagiados com o humor de Jô Soares", acrescentou.

Jô Soares nasceu em 16 de janeiro de 1938 no Rio de Janeiro e, aos 12 anos, mudou-se com a família para a Europa.

Com uma longa carreira, José Eugênio Soares foi humorista, apresentador de televisão, escritor, diretor e ator. 

Estreou-se no cinema e na televisão no final dos anos de 1950, como argumentista e ator, nomeadamente no Grande Teatro da TV-Tupi, atingindo sucesso maior cerca de dez anos depois quando chegou à TV Globo com o programa "Faça Humor Não Faça Guerra", de que era ator e autor.

Portugal descobriu o autor de "O Xangô de Baker Street" em 1981, quando a RTP passou a transmitir o seu programa de humor "Viva o Gordo!".

Na última publicação na sua página oficial na rede Twitter, datada de quinta-feira, Jô Soares escreveu: "Não é necessário mostrar beleza aos cegos, nem dizer verdade aos surdos. Mas não minta para quem te escuta e nem decepcione os olhos de quem te admira."