Ouça a Rádio Comercial, faça o download da App.

Campanha "Taxa Zero ao Volante" arranca terça-feira

Até ao dia 11 de julho, vão decorrer ações de sensibilização da ANSR e operações de fiscalização da GNR e da PSP.

Campanha "Taxa Zero ao Volante" arranca terça-feiraANSR
Redação

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a GNR e a PSP lançam na terça-feira a campanha de Segurança Rodoviária "Taxa Zero ao Volante", que visa alertar os condutores para os riscos da condução sob o efeito do álcool.

A campanha vai decorrer até à próxima segunda-feira, 11 de julho, com ações de sensibilização da ANSR e operações de fiscalização levadas a cabo pela PSP e pela GNR, com ”especial incidência em vias e acessos com elevado fluxo rodoviário e de acordo com o Plano Nacional de Fiscalização 2022, de forma a contribuir para a diminuição do risco de ocorrência de acidentes e para a adoção de comportamentos mais seguros dos condutores” em relação à condução sob o efeito do álcool. 

Num comunicado conjunto, as autoridades referem que “um em cada três condutores mortos em acidentes de viação apresenta uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,5 g/l e três em cada quatro destes condutores apresentam uma taxa igual ou superior a 1,2 g/l”. 

As ações de sensibilização que vão ocorrer em simultâneo com as operações de fiscalização, estão programadas para Torres Vedras, na EN 8 - Rotunda Turcifal; Avenida da Europa, em Aveiro; na EN 14 - Rotunda do Feliz, em Celeirós, Braga; na Praça da República, na cidade do Porto; e na EN17, em Ceira. 

A ANSR, a PSP e a GNR relembram que a condução sob a influência do álcool é um risco para a sua segurança e dos outros e salientam que“ vários estudos científicos demonstram que conduzir sob a influência do álcool causa várias perturbações, designadamente, ao nível cognitivo e do processamento de informação, bem como alterações na capacidade de reagir aos imprevistos, e descoordenação motora".

Sublinham ainda que "o álcool diminui o campo visual, provocando a chamada visão em túnel" E que "esta perda de capacidades, bem como as alterações de comportamento que podem levar a estados de euforia e desinibição, aumentam de forma muito significativa o risco de envolvimento em acidentes rodoviários”.