Ouça a Rádio Comercial, faça o download da App.

Mais duas vozes pelo direito ao aborto

Cyndi Lauper e Fiona Apple, de formas diferentes, reivindicam para as mulheres o poder de controlar o seu corpo.

Mais duas vozes pelo direito ao abortoAssociated Press/DR (cortesia Sony Music)
Redação

A decisão do Supremo Tribunal na reversão constitucional do direito ao aborto das mulheres nos Estados Unidos, que abre a via para se impedir a interrupção voluntária da gravidez em território norte-americano, continua a despoletar reações no mundo da música.

Cyndi Lauper e Fiona Apple juntam-se ao coro de protestos, embora de forma isolada e cada uma ao seu estilo.

Cyndi Lauper recuperou a sua canção de 1993, 'Sally's Pigeons', para uma nova versão acústica. O tema é inspirado numa amiga de infância da cantora que perdeu a vida na sequência de um aborto clandestino. Num dos vários tweets seus no fim-de-semana, Lauper recordou que na sua "infância, as mulheres não tinham liberdade na atividade reprodutiva, e 50 anos depois vemo-nos num lapso temporal em que o controlo do próprio corpo é retirado".

 

Fiona Apple escolheu a sua página de YouTube, Fiona Apple Rocks, para manifestar o que lhe vai na alma, quase de um só fôlego e sem estar a ler qualquer texto. "Isto tem tudo a ver com controlo e não com a vida. Isto tem a ver com o controlo das mulheres, o controlo sobre os seus corpos e o facto de nos ser retirado esse controlo dos corpos, a nossa autonomia e a nossa ação. São-nos tiradas as nossas escolhas e o que podemos fazer com as nossas vidas. Sinto isto como uma agressão sexual". Fiona Apple, de 44 anos, revolta-se com a extorsão do poder de escolha às mulheres, que a cantora chegou a ter, quando teve que tomar a decisão de poder abortar ou não. Sem papas na línguas, mostrou a sua vontade em futuramente doar a "fundos para abortos" e não a políticos.