Ouça a Rádio Comercial, faça o download da App.

Mulheres sentem mais frio do que os homens

O estudo feito pela Bond University revela que é uma questão hormonal.

Mulheres sentem mais frio do que os homens
Redação

Todos temos preferências diferentes relativamente ao uso de cobertores de inverno e ao aquecimento das nossas casas. Nos escritórios, este assunto constitui, muitas vezes, a base das discussões entre mulheres e homens sobre a temperatura "correta". 

Um estudo da Bond University mostra que as mulheres preferem uma temperatura, dentro de espaços fechados, mais alta do que os homens. Mas porque é que isto acontece? A pesquisa revela que existem duas principais razões para este fenómeno:  

  

Diferenças biológicas entre homens e mulheres 

 
Com aproximadamente o mesmo peso corporal, as mulheres tendem a ter menos músculos para gerar calor. Segundo o estudo, elas também têm mais gordura entre a pele e os músculos, por isso, a pele fica mais fria, devido a uma maior distância entre a pele e os vasos sanguíneos. As mulheres também tendem a ter uma taxa metabólica mais baixa do que os homens, o que reduz a capacidade de produção de calor durante a exposição ao frio, tornando-as mais propensas a sentir frio à medida que a temperatura diminui. 

 

Diferenças hormonais 

 

Hormonas como o estrogénio e a progesterona encontram-se em maior quantidade nas mulheres do que nos homens, o que contribui para a regulação de temperatura central do corpo e da pele. Desta forma, o estrogénio ajuda a dilatar os vasos sanguíneos nas extremidades, o que leva a uma maior perda de calor. 

A progesterona pode fazer com que os vasos da pele se contraiam, o que significa menos sangue a circular para as extremidades por forma a manter os órgãos internos mais quentes. Esse equilíbrio hormonal muda ao longo do mês ao longo do ciclo menstrual. Estas hormonas também fazem as mãos, pés e orelhas das mulheres ficarem cerca de três graus mais frias do que as dos homens. A temperatura corporal central é mais alta na semana após a ovulação, à medida que os níveis de progesterona aumentam. O que leva as mulheres sentirem-se sensíveis a temperaturas externas mais frias. 

No entanto, não são só desvantagens, de facto esta diferença é uma vantagem evolutiva. Nos mamíferos, as fêmeas podem ter desenvolvido uma preferência por climas mais quentes com o objetivo de incentivá-las a descansar com as crias que são incapazes de regular sua própria temperatura corporal. 

Mas como podemos concordar com a temperatura ideal? O método de sono escandinavo é uma maneira de superar as diferenças nas preferências de temperatura, onde os casais dormem com cobertores separados. Já no local de trabalho, os sistemas de conforto pessoal como sistemas térmicos que aquecem ou arrefecem e podem ser posicionados localmente em estações de trabalho individuais são uma forma de evitar discussões. Exemplos disso são pequenos ventiladores de mesa, cadeiras e cobertores aquecidos ou aquecedores de pés. Esses sistemas fornecem conforto térmico individualizado para atender às necessidades pessoais sem afetar outras pessoas no mesmo espaço e concluiu-se que estes produzem maior satisfação de conforto no local de trabalho.