Novo presidente da Coreia do Sul quer tirar um ano de idade aos cidadãos

Yoon Seok-yeol quer que esta seja uma das primeiras medidas aprovadas após a tomada de posse.

Novo presidente da Coreia do Sul quer tirar um ano de idade aos cidadãos Associated Press
Redação

Os cidadãos da Coreia do Sul podem vir a ter um ano retirado do cartão de identidade. Esta será uma das prioridades legislativas do novo presidente do país, que tomou posse esta terça-feira.

Yoon Seok-yeol quer alterar a chamada ?idade coreana?. Naquele país asiático, os bebés, quando nascem, são considerados como tendo um ano de idade. E somam mais um ano a cada passagem do Ano Novo. Na prática, uma criança nascida em dezembro pode ter dois anos de idade com poucas semanas de vida.

O novo presidente sul-coreano quer abolir este método centenário e colocar o país em linha com o resto do mundo. Yoon Seok-yeol diz que a "idade coreana" tem resultado em ?confusões persistentes? e ?custos económicos e sociais desnecessários?.

Na Coreia do Sul existem três formas de contar a idade. Para processos administrativos existe o sistema internacional. Existe uma segunda forma, em que um bebé nasce com 0 anos de idade, mas ganha um ano a cada dia 1 de janeiro. Este método é utilizado, por exemplo, para o recrutamento militar.

A terceira forma, conhecida como a "idade coreana", utilizada por todos os cidadãos do país, dá um ano de idade a cada recém-nascido e soma um ano a cada dia 1 de janeiro. Terá origem na China, mas atualmente é apenas utilizada na Coreia do Sul.