Operação da PSP: detidos 40 condutores sob o efeito de álcool em apenas dois dias.

Foi hoje revelado o balanço da operação "Se conduzir não beba, Se beber não conduza".

Operação da PSP: detidos 40 condutores sob o efeito de álcool em apenas dois dias.Polícia de Segurança Pública
Redação

40 cidadãos foram detidos por condução com taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l, nos dois dias em que decorreu a operação "Se conduzir não beba, Se beber não conduza", levada a cabo pela Polícia de Segurança Pública (PSP) na sua área de responsabilidade em Portugal Continental e na totalidade das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores.

Foi hoje divulgado o balanço da operação, que decorreu nos dias 27 e 28 de janeiro, e em que foi dada "especial atenção à fiscalização da condução sob o efeito do álcool, uma das principais causas da sinistralidade rodoviária".

Em comunicado, a PSP informa que durante este período, "foram fiscalizadas 7847 viaturas e 4243 condutores foram submetidos ao teste de alcoolemia, tendo sido detetados 108 a conduzir sob o efeito do álcool (contraordenação), 70 dos quais ainda se encontravam no regime probatório da carta de condução".

 

 

Na sequência da operação, a PSP dá conta que "foram verificadas 222 viaturas em excesso de velocidade e registámos 29 autos de contraordenação por não utilização ou utilização incorreta do cinto de segurança e 30 por uso do telemóvel durante a condução, constituindo estas infrações algumas das principais causas da sinistralidade rodoviária".

É também destacado o "registo de 126 viaturas a circular na via pública sem inspeção, bem como 45 autos de contraordenação por falta de seguro obrigatório".

Já por falta de habilitação legal, a Polícia de Segurança Pública informa que foram feitas 27 detenções.

Na nota de imprensa, a PSP "apela a todos os condutores para que não adotem comportamentos que possam diminuir as suas capacidades de condução, como conduzirem sob o efeito do álcool ou de substâncias psicotrópicas, ou que sejam suscetíveis de causas distrações, como o uso do telemóvel durante a condução".

"Só com uma condução responsável e segura por parte de todos os utilizadores das rodovias será possível diminuir a sinistralidade", conclui a PSP.

 

 

.