Avaliação bancária na habitação com novo recorde de 1.272 euros/m2 em novembro

Instituto Nacional de Estatística indica que se trata de aumento homólogo de 11,2% e 21 euros acima de outubro.

Avaliação bancária na habitação com novo recorde de 1.272 euros/m2 em novembroPIXABAY
Agência Lusa

O valor mediano de avaliação bancária na habitação subiu em novembro para um novo máximo histórico de 1.272 euros por metro quadrado (m2), um aumento homólogo de 11,2% e 21 euros acima de outubro, divulgou hoje o INE.

“Em novembro de 2021, o valor mediano de avaliação bancária, realizada no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação, fixou-se em 1.272 euros por metro quadrado (euros/m2), tendo aumentado 1,7% face a outubro (1.251 euros/m2)", refere o Instituto Nacional de Estatística (INE), acrescentando que, "em termos homólogos, a taxa de variação aumentou para 11,2% (10,6% em outubro)”.

Segundo o INE, em novembro foram consideradas 29.612 avaliações bancárias, mais 8,7% do que no mesmo mês do ano anterior, sendo 18.858 de apartamentos e 10.754 de moradias.

Todas as regiões apresentaram aumentos face ao mês anterior, à exceção do Alentejo e da Região Autónoma da Madeira, que mantiveram o mesmo valor.

As maiores variações registaram-se no Centro e no Algarve (2,2% e 2,1% respetivamente).

Em comparação com novembro de 2020, o valor mediano das avaliações cresceu 11,2%, registando-se a variação mais intensa na Área Metropolitana de Lisboa (11,1%) e a menor na Região Autónoma dos Açores (0,5%).

No mês em análise, o valor mediano de avaliação bancária de apartamentos foi 1.401 euros/m2, tendo aumentado 11,9% relativamente a novembro de 2020 e 1,2% face ao mês anterior.

O valor mais elevado dos apartamentos foi observado no Algarve (1.701 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (905 euros/m2), mas foi a Área Metropolitana de Lisboa que apresentou o crescimento homólogo mais expressivo (11,6%), enquanto a Região Autónoma dos Açores registou o menor (2,0%).

Já no que diz respeito a moradias, o valor mediano da avaliação bancária foi de 1.031 euros/m2 em novembro, o que representa um acréscimo de 8,1% em relação ao mesmo mês do ano passado e uma subida de 2,1% em cadeia.

Os valores mais elevados observaram-se no Algarve (1.758 euros/m2) e na Área Metropolitana de Lisboa (1.694 euros/m2), tendo o Alentejo registado o valor mais baixo (840 euros/m2).

A Algarve apresentou o maior crescimento homólogo (10,3%) e o menor ocorreu na Região Autónoma dos Açores (1,2%).

De acordo com o Índice do valor mediano de avaliação bancária, em novembro de 2021, o Algarve, a Área Metropolitana de Lisboa, o Alentejo Litoral e a Região Autónoma da Madeira apresentaram valores de avaliação superiores à mediana do país (34%, 32%, 4% e 1% respetivamente).

Já a região das Beiras e Serra da Estrela foi a que apresentou o valor mais baixo em relação à mediana do país (-47%).

O INE divulga em 27 de janeiro os dados da avaliação bancária relativos a dezembro.