Morreu Robbie Shakespeare, dos Sly & Robbie

Ano negro para a música jamaicana, que volta a perder uma lenda, depois das mortes de Lee "Scratch" Perry e de Bunny Wailer.

Morreu Robbie Shakespeare, dos Sly & RobbieCollin Reid (Associated Press) - arquivo de 2005
Redação

Robbie Shakespeare (à esquerda na foto), baixista dos Sly & Robbie, não sobreviveu a uma cirurgia a um dos rins numa unidade hospitalar da Florida, nos Estados Unidos, tendo morrido ontem com 68 anos - noticia a imprensa jamaicana, nomeadamente o Jamaican Observer e o Gleaner

Robbie Shakespeare, alcunhado de Basspeare, é reconhecido como o baixista mais influente da música jamaicana, de enorme influência para o dub e para o dancehall ao longo dos últimos 40 anos, muito por via da dupla Sly & Robbie que formava com o baterista Sly Dunbar. 

É tal a produção discográfica dos Sly & Robbie desde 1981, ano da morte de Bob Marley, que se torna praticamente impossível contabilizar o número de álbuns deste projeto muito ligado à música instrumental, com um pingue-pongue muito identitário entre o baixo e a bateria, pingado por arranjos eletrónicos pouco convencionais e os riffs de guitarra elétrica ao estilo do reggae.

 Através do laboratório sonoro dos Sly & Robbie, Robbie Shakespeare colaborou com alguns dos nomes mais mediáticos da música, como Mick Jagger, Bob Dylan, Sting, Grace Jones, Serge Gainsbourg, Joe Cocker ou Carly Simon.

Leia também

Robbie Shakespeare é visto globalmente como um dos baixistas mais influentes de sempre. No ano passado, a Rolling Stone colocou-o numa lista dos 50 melhores baixistas de sempre, em 17º lugar, à frente de figuras como Sting, Flea (dos Red Hot Chili Peppers), Tina Weymouth (dos Talking Heads), Lemmy (dos Motörhead) ou Peter Hook (ex-membros dos Joy Division e dos New Order).

2021 tem sido um ano lúgubre para a música jamaicana, depois das mortes de Bunny Wailer (em março passado) e de Lee "Scratch" Perry (em agosto).