OE2022: Comissão Política do BE vai propor voto contra se não houver "nova aproximação" do Governo

Os bloquistas alegam que "o governo não realizou qualquer nova aproximação às nove propostas" do partido.

OE2022: Comissão Política do BE vai propor voto contra se não houver "nova aproximação" do GovernoLUSA
Agência Lusa

O BE afirmou hoje que “o Governo não realizou qualquer nova aproximação às nove propostas” do partido e que, a manter-se este quadro, a Comissão Política proporá à Mesa Nacional “a orientação de voto contra” o Orçamento do Estado.

“O Bloco de Esquerda comunicou ao Governo que, até à votação na generalidade, estará aberto à negociação”, refere fonte oficial do partido, após a reunião de hoje de manhã com o executivo.

A mesma fonte refere que “na reunião desta manhã, o Governo não realizou qualquer nova aproximação às nove propostas do Bloco de Esquerda” e que “a manter-se este quadro, a Comissão Política proporá à Mesa Nacional a orientação de voto contra a proposta de Orçamento do Estado para 2022”.

A Mesa Nacional do BE, órgão máximo do partido entre Convenções, reúne-se no domingo e tem conferência de imprensa prevista para as 16h00.

Na sexta-feira, o líder parlamentar do BE já tinha considerado à Lusa que as respostas do Governo às nove propostas orçamentais eram inexistentes ou insuficientes, criticando a falta de empenho e vontade do executivo cujo otimismo sobre as negociações não partilha.

“Dos nove pontos, vários ainda estão sem resposta, outros têm respostas manifestamente insuficientes. O balanço disto, não há forma de o ver como positivo”, afirmou Pedro Filipe Soares em declarações à agência Lusa.

Em causa estão as nove propostas, nas áreas da saúde, segurança social e legislação laboral, que o BE fez chegar ao Governo, por escrito, para as negociações do OE2022.

Esta madrugada, a Comissão Política do PS comprometeu-se, por escrito, a proceder a um aumento extraordinário das pensões até ao valor de 1.097 euros a partir de janeiro e a aumentar o mínimo de existência em 200 euros.

Nas pensões, o PS comprometeu-se ainda a “eliminar a penalização relativa ao fator de sustentabilidade a partir dos 60 anos para todos os indivíduos com mais de 80% de capacidade durante pelo menos 15 anos”.

Estas medidas foram transmitidas por António Costa na reunião da Comissão Política do PS, que deu mandato para que “prossigam as negociações com o BE, o PCP, o PAN, o PEV e as deputadas não inscritas” para a viabilização da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2022.

Na mesma reunião partidária, o secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa, afirmou que os socialistas não desejam eleições legislativas antecipadas e que tudo farão para as evitar na atual conjuntura do país, mas avisou também que o seu partido não teme eleições.

“Não desejamos eleições, mas não tememos eleições. Devemos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance, mas não pode ser a qualquer preço”, frisou.

A votação na generalidade do Orçamento do Estado para 2022 está marcada para a próxima quarta-feira.