NO AR:

Ordem dos Contabilistas aposta na prestação de contas com preocupões ambientais

Bastonária defende que as empresas vão passar a ser avaliadas de outra forma, "com informação que avalie e dê informação diferente sobre as preocupações ambientais e sociais que as empresas têm".

Redação / Agência Lusa

Uma prestação de contas "completamente diferente", que inclua nomeadamente as preocupações ambientais das empresas, é a "grande aposta" da Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC) "nos próximos tempos", anunciou hoje a bastonária da OCC, Paula Franco.

“Creio que, depois deste período que tivemos de pandemia, temos condições para olhar também para a prestação de contas, e os empresários de uma forma geral, de forma completamente diferente”, afirmou Paula Franco, na cerimónia de inauguração de uma delegação da Ordem dos Contabilistas Certificados, em Portalegre, no dia de São Mateus, padroeiro dos Contabilistas.

Lembrando que a prestação de contas dos contabilistas "é extremamente importante para o país“, Paula Franco salientou que a necessidade de informação se tornou hoje "crucial" para as atividades empresariais e para o futuro da organização das sociedades, e da sociedade portuguesa de uma forma geral, para se poderem tomar as melhores decisões".

Insistindo que a prestação de contas "é essencial", a bastonária disse aos contabilistas que é aí que os contabilistas têm de se focar agora, depois de ano e meio de pandemia, em que os contabilistas se focaram naquilo que tinha a ver com apoios, "porque foi a necessidade" que o país, e os clientes dos contabilistas, tiveram na altura.

"Temos agora de dedicar-nos a criar uma prestação de contas completamente diferente, que sirva muito mais os interesses de todos os utilizadores [Estado, empresas e contribuintes]. É esta a grande aposta que a Ordem dos Contabilistas vai fazer nos próximos tempos", afirmou Paulo Franco, na cerimónia de inauguração em Portalegre.

A Bastonária disse ainda que se vive "uma viragem" ao nível da prestação de contas, em que o relato financeiro é extremamente importante, mas avisou que se vai passar para uma realidade "nova", que é o relato não financeiro, que disse ser "tão importante como" o financeiro.

"Hoje em dia, esta é a realidade a que temos de nos habituar, em que todos os utilizadores da informação vão avaliar as empresas de outra forma, com informação que avalie e dê informação diferente sobre as preocupações ambientais e sociais que as empresas têm, até para tomar decisões", acrescentou, lembrando que os fundos de apoio têm também essa "preocupação", de avaliar as empresas "de outra forma".

A nova delegação da OCC, em Portalegre, hoje inaugurada, integra o plano da bastonária para ter delegações em todos os distritos do país, tendo em vista, como hoje recordou, o objetivo de "descentralização" ao longo do país.

Com Portalegre, e depois das inaugurações das delegações da Guarda, Évora e Bragança, falta abrir as delegações de Beja e Viana do Castelo, onde a OCC já contratou espaço e tem obra em curso, para concluir a cobertura nacional.

"Faltam duas, mas vão abrir até ao final do ano", disse a bastonária.

O secretário de Estados dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, presente na cerimónia, agradeceu aos contabilistas certificados, em nome do Governo, pelo apoio durante a pandemia que permitiu às empresas aceder a apoios covid-19 e aos contribuintes cumprirem os pagamentos, para que o país tivesse recursos para responder à crise pandémica.