NO AR:

Festival Authentica estreia-se com Kodaline e Rag'N'Bone Man

Novo evento decorre em Braga a 10 e 11 de dezembro e pretende atrair 36 mil espectadores.

Rúben Viegas /Vickie Flores (EPA)
Redação

Nos dias 10 e 11 de dezembro vai começar um novo grande evento de música, o Festival Authentica, que decorre no Altice Forum Braga, e conta no cartaz com nomes internacionais como Kodaline, Rag’N’Bone Man, James Bay, Zara Larsson, os históricos do hip hop De La Soul, Nothing But Thieves, Luísa Sonza e a espanhola Mala Rodríguez, bem como um forte contingente luso como Dino D'Santiago, ProfJam, Jimmy P ou a dupla Mundo Segundo & Sam The Kid.

O festival pretende atrair na sua edição de estreia "36 mil festivaleiros" ao pavilhão multiusos bracarense e quer afirmar-se como o maior evento da época mais fria do outono/inverno.

O festival vai contar com quatro palcos (Authentica, Urban, Auditório e o Dancing Room) e com quatro zonas diferentes no recinto de 15 mil metros quadrados, incluindo áreas de bem-estar (a Wellbeing Zone) e uma área ligada à época festiva.

Os bilhetes para o Festival Authentica vão ser vendidos nos seguintes módulos: bilhetes diários (por 45 euros), passes gerais de 2 dias (por 75 euros), bilhetes diários VIP (por 80 euros), passes gerais de 2 dias VIP (por 150 euros) e ainda bilhetes de estacionamento para os dois dias.  

O festival foi apresentado em conferência de imprensa em Braga, na presença do promotor de concertos da Malpevent, Marco Polónio, acompanhado pelo presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, e por Carlos Silva, da agência de dinamização económica InvestBraga.  

O promotor de música Marco Polónio, que deseja um "festival quente em pleno inverno", conta com o cumprimento da promessa do governo quanto ao levantamento das restrições, com 85% da população portuguesa inoculada com as vacinas contra a covid-19. Polónio pretende que o Authentica cubra "a lacuna da falta de festivais" na época mais fria do ano.

Carlos Silva, da InvestBraga, realça a importância de Braga passar a ter finalmente “um festival de música de grande dimensão”. Segundo o dinamizador, o Festival Authentica era já ter ocorrido em 2020, se não tivesse acontecido a pandemia.