NO AR:

Homem mais rico do mundo saiu da Terra e voltou em 11 minutos

Jeff Bezos viajou com mais três passageiros a bordo.

EPA
Nuno Castilho de Matos

O homem mais rico do mundo, Jeff Bezos, alcançou esta tarde o espaço, juntamente com mais três passageiros, a bordo do foguetão New Shepard, da empresa Blue Origin, que fundou, tendo superado os 100 quilómetros de altitude.

O foguetão descolou de uma plataforma no deserto do Texas, nos Estados Unidos, às 14h13 (hora em Lisboa), com um atraso de 13 minutos face à hora prevista devido a revisões técnicas nos últimos minutos.

Três minutos depois da descolagem, a cápsula onde seguiam os quatro turistas espaciais libertou-se do foguetão e superou a linha Karman, o limite reconhecido internacionalmente entre a atmosfera terrestre e o espaço.

Junto com Jeff Bezos, fundador da empresa de comércio 'online' Amazon, seguiram no primeiro voo tripulado da Blue Origin o irmão Mark, a pioneira da aviação norte-americana Wally Funk, de 82 anos, e o estudante holandês Oliver Daemen, de 18 anos, filho de um multimilionário, que pagou a viagem.

Wally e Oliver passaram a ser, com esta curta viagem de 11 minutos, a pessoa mais velha e mais nova no espaço.

Durante os pouco minutos que a tripulação esteve em microgravidade pôde admirar a Terra e ver o negro profundo do resto do Universo.

Pouco tempo depois de o foguetão New Shepard, completamente autónomo, ter regressado ao ponto de partida, a cápsula com os quatro turistas aterrou no deserto do Texas.

À saída da cápsula, Jeff Bezos, que usava um chapéu de 'cowboy', e os restantes elementos foram recebidos com gritos de alegria pelas equipas da Blue Origin.

"Foi o meu melhor dia", exclamou, ainda no interior da cápsula, depois de aterrar, o magnata norte-americano.

O primeiro voo tripulado da Blue Origin aconteceu no dia em que se completam 52 anos sobre a chegada dos americanos, e dos dois primeiros humanos, à superfície da Lua.

Sucedeu igualmente pouco tempo depois da também viagem turística espacial inaugural da Virgin Gallactic, onde seguiu o patrão e multimilionário britânico Richard Branson.