NO AR:

A obra-prima de Marvin Gaye saiu há 50 anos

"What's Going On" saiu a 21 de maio de 1971 e mudou o paradigma da editora Motown.

DR
Gonçalo Palma

Pode um grande álbum mudar uma grande editora? Pode, diz "What's Going On", a grande obra-prima de Marvin Gaye e um dos mais históricos álbuns da soul de sempre.

O 11º álbum de estúdio de Marvin Gaye, "What's Going On", foi lançado a 21 de maio de 1971, há exatamente 50 anos. O disco furou o filtro otimista da Motown, que era uma fábrica de grandes canções de amor cheia de refrães esperançosos. Pela primeira vez, graças a Gaye, a editora passava a ter no seu catálogo um disco de atmosfera pessimista, inspirado em várias tragédias, como a morte de tumor cerebral da sua companheira de duetos Tammi Terrell, ou em preocupações sociais, como a Guerra do Vietname, a pobreza e (já nessa altura, uma preocupação) os danos ambientais.

A atualidade entrou pela romântica Motown adentro e era preciso cantá-la, como Marvin Gaye soube tão bem em nove temas, que correm do início ao fim em contínuo, sem pausa entre as faixas, como se fosse um filme. 

Mas Marvin Gaye teve que fazer finca-pé pelo disco que o patrão da editora Motown, Berry Gordy, a princípio não queria publicar. Porque a rutura de "What's Going On" não era só espiritual e estética, era também funcional. De ferramenta da Motown como músico de sessão e cantor de grande sucesso, Gaye passou a autor das suas canções em "What's Going On". De intérprete de êxitos, passou a fazedor de grandes álbuns enquanto compositor.  De repente, por trás de um grande cantor, havia um grande pensador que fez em 1971 um álbum revolucionário, "What's Goin On". 

Stevie Wonder acompanha Marvin Gaye nesta tomada de poder autoral pelos cantores na Motown. Juntos engrandeceram os anos 70 e tiraram a editora da fábula cor-de-rosa e levaram-a à rua e às temáticas da desigualdade social e racial.