Multas de trânsito diminuíram em 2020

A infração por excesso de velocidade foi a única contraordenação que registou um aumento.

José Coelho | LUSA
Redação / Agência Lusa
29 março 2021, 17:54

As multas de trânsito diminuíram quase 7% em 2020 face ao ano anterior, totalizando 1,2 milhões, e a infração por excesso de velocidade foi a única contraordenação que registou um aumento, revela o relatório anual hoje divulgado.

O relatório de sinistralidade e fiscalização rodoviária relativo a 2020, apresentado esta segunda-feira pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), avança também que no ano passado aumentaram 18,7% as detenções dos condutores por falta de habilitação legal.

Segundo o relatório, foram fiscalizados perto de 113 milhões de veículos em 2020, um aumento de 19,4% em relação a 2019, destacando-se o acréscimo de 23% da fiscalização automática através do sistema de radares de controlo de velocidade da ANSR e de 103,5% da Polícia Municipal de Lisboa, apesar do decréscimo de 10,5% da fiscalização da GNR e PSP.

Dos veículos fiscalizados, resultaram 1,216 milhões de multas em 2020, o que representa uma diminuição de 6,9% face ao ano anterior.

A ANSR sublinha que 62,9% do total das infrações regatadas em 2020 correspondeu ao excesso de velocidade.

De acordo com o mesmo documento, apenas o excesso de velocidade aumentou em 2020, registando uma subida de 14,5% face a 2019, um acréscimo que está essencialmente relacionado com o sistema de radares fixos da ANSR. No total, 764.565 condutores foram apanhados em excesso de velocidade no ano passado, contra os 667.954 em 2019.

A ANSR adianta que todas os restantes tipos de infrações registaram uma descida.

Relativamente à condução sob o efeito do álcool em 2020, o relatório dá conta que foram submetidos ao teste de pesquisa de álcool cerca de 1,1 milhões condutores, uma diminuição de 38,1% comparativamente com o ano anterior, sendo que o número de infrações desceu cerca de 46% ao passar de 33.826 autos para 18.199.

A ANSR indica que no ano passado a pandemia de covid-19 impediu, por motivos sanitários, que se realizassem mais ações de fiscalização ao efeito do álcool.

No âmbito da criminalidade rodoviária, o número total de detenções efetuadas em 2020 diminuiu 15,8%, em comparação com 2019, atingindo 19.997 condutores, e perto de metade das detenções deveu-se à condução sob o efeito do álcool (47,3%), apesar de se ter verificado uma diminuição de 28,9% no número de detenções por este motivo.