NO AR:

Há uma loja virtual com peças únicas de artistas para ajudar os trabalhadores da cultura

A plataforma chama-se A Loja do Artista. Entre as peças, está uma guitarra de Legendary Tigerman, o vestido que Ana Bacalhau usou no último concerto dos Deolinda ou umas sapatilhas da atriz e cantora Sofia Escobar.

Sang Tan (Associated Press)
Redação



A ideia de criar uma plataforma digital, que de alguma forma possa ajudar os trabalhadores do setor da Cultura, surgiu na altura do primeiro confinamento, em março do ano passado. O músico e produtor Renato Júnior - o dono da ideia - quis arranjar uma maneira de ajudar os muitos trabalhadores da área que continuam a passar por sérias dificuldades na sequência da suspensão dos espetáculos

Foi então que pensou na plataforma online A Loja do Artista - em www.alojadoartista.pt - uma loja online onde os artistas ou outras pessoas tenham peças de coleção relacionadas com o meio artístico podem vender os objetos e ainda doar parte do valor a entidades que estejam a ajudar os trabalhadores.

"Todos estes profissionais, quer sejam da área da música, teatro, cinema, literatura, artes plásticas ou qualquer outra, vão juntando bens com um imensurável valor sentimental e económico para os fãs, seguidores, colecionadores. São peças com um simbolismo único. O grande objetivo desta plataforma é permitir que os artistas, os autores, os técnicos ou outros proprietários de objetos únicos e simbólicos possam disponibilizar essas peças para o público em geral, apoiando o setor, carenciado e em dificuldades", refere o comunicado sobre a plataforma que está online a partir desta segunda-feira, dia 22 de março.

Para materializar a intenção, o músico e produtor (da produtora Doubleclick) juntou-se à agência tecnológica Something Apps. Os artistas (e não só) podem colocar à venda as tais peças de coleção, sendo que parte do valor da venda - com um mínimo estipulado em 5% - será doado a uma entidade que esteja a ajudar os trabalhadores da área

"Surgiu a ideia de poder juntar numa plataforma algumas peças únicas, de gente única. Falo de artistas, autores, técnicos ou outros proprietários que tenham peças simbólicas ou com alguma história. No caso dos músicos, pode ser um casaco com o qual atuou no primeiro concerto, uma guitarra que tenha uma história ou com a qual compôs uma determinada canção ou pode ser o manuscrito de uma letra. No caso das novelas ou ou do teatro, pode ser uma peça de um décor ou cenário, por exemplo", refere Renato Júnior.
 


Os proprietários das peças podem disponibilizar e colocar à venda os objetos, atribuindo-lhes um valor de custo. Como nos disse Renato Júnior, é o proprietário da peça que escolhe o destino da doação e o valor que quer doar, desde que seja a partir dos 5%. Renato Júnior conta que há quem tenha doado a totalidade do valor.  


Como sublinha Renato Júnior, a plataforma funciona como uma espécie de "ajuda dupla". Os proprietários das peças podem ganhar com a venda e ainda ajudar os outros trabalhadores do setor da Cultura.
 

 

Por enquanto, na plataforma A Loja do Artista estão à venda cerca de 20 peças, mas a ideia é colecionar cada vez mais. Entre as duas dezenas de peças, e a título de exemplo, está uma guitarra do músico Legendary Tigerman, o vestido que Ana Bacalhau usou no último concerto dos Deolinda, no Coliseu de Lisboa, ou umas sapatilhas que a atriz e cantora Sofia Escobar usou quando protagonizou a peça "Fantasma da Ópera" em Londres.