Os dez finalistas do Festival da Canção 2021

Amanhã, dia 6 de março, Portugal vai saber quem é que irá representar o país na Eurovisão. Saiba mais sobre os finalistas.

Facebook Oficial Festival da Canção
Redação
05 março 2021, 16:45


Amanhã, sábado, realiza-se a final do Festival da Canção 2021 - transmissão que será assegurada pela RTP. A apresentação vai estar a cargo de Filomena Cautela e Vasco Palmeirim. O início está marcado para as 21h00.

O vencedor irá representar Portugal no 65.º Festival Eurovisão da Canção, no mês de maio, em Roterdão, nos Países Baixos. Saiba mais sobre as dez canções a concurso que foram apuradas nas duas semifinais transmitidas pela estação de televisão pública. 

Romeu Bairos e Karetus: 'Saudade' (Karetus)

'Saudade' é o tema da dupla Karetus cantado pelo micaelense Romeu Bairos. A canção junta a modernidade da música electrónica da dupla com a alma do fado do músico açoriano que está ligado à música tradicional desde a infância que passou na ilha de São Miguel. 'Saudade' fará parte de um álbum que os Karetus estão a compor e que coloca os sons da cultura tradicional portuguesa em diálogo com a electrónica, uma característica da dupla formada por Carlos Silva e André Reis.
 


Joana Alegre: 'Joana do Mar' (Joana Alegre)

 
Joana Alegre entra na corrida com 'Joana do Mar', canção da sua autoria. "Quis trazer-vos uma canção sobre o momento em que estou na vida, com força vital e alegria de ser, desafiando-me a cantar a minha identidade para mais uma vez descobrir que há quem queira ouvir a minha música, e que maravilha saber que somos cada vez mais nesta caminhada! Grata e honrada por estar nesta festa, poder viver esta camaradagem, conhecer e conviver com tantos músicos e intérpretes incríveis, neste pedaço da nossa história a contrastar com um momento tão duro para todos nós. Estou muito feliz e rodeada de gente boa que me enche o coração e dá sentido a quem sou e ao que faço!", escreveu Joana Alegre, sobre o tema que leva a concurso.

Ao lado da cantora na gravação da canção estiveram também Emiliana Silva, Sara Fidalgo, Mário Delgado, Vicente Palma, Nuno Gonzalez e Carlos Miguel. Joana Alegre está a gravar o seu segundo álbum de originais com produção de Luísa Sobral (também produtora de 'Joana do Mar').
 



Fábia Maia: 'Dia Lindo' (Fábia Maia)
 
Fábia Maia, de 28 anos, leva ao palco da final um tema que compôs. A canção da cantora de Barcelos chama-se 'Dia Lindo'. Para a jovem Fábia, estar na final do Festival da Canção é um sonho materializado. Aliás, são dois.

"Sabem aqueles dias em que não temos palavras? Eu estou num desses dias. Estou feliz. Obrigada a quem me ouviu e me entendeu. Na verdade e no final das contas 'tudo tem a sua forma de ser' e eu tenho a minha. Não tinha mais nada para além de mim. Disse a quem me conhece, muitas vezes, que God existe e que Jesus é a paz dos meus ouvidos. Nunca mais na vida, nem em dias menos bonitos, vou duvidar que o Universo conspira", escreveu a cantora nas redes sociais. "Na verdade, realizei dois sonhos. Participei no Festival e conheci a Rita Guerra. Isso chega-me. Sejam felizes e livres. Amem quem quiserem, vistam o que quiseram, não desistam dos sonhos e principalmente sejam bondosos. A verdadeira luta é a bondade", completou.

Fábia Maia já tem dois EPs editados. "Melodia-me", lançado em 2017, e "Santiago" que a minhota editou em 2020.
 



 Valéria: 'Na Mais Profunda Saudade' (Hélder Moutinho)

A fadista Valéria Carvalho leva o fado, no seu estado mais puro, à final de amanhã. A jovem cantora de Alcains, Castelo Branco, dá voz ao tema 'Na Mais Profunda Saudade', composto pelo fadista Hélder Moutinho.

"Não tenho palavras para agradecer todo o apoio que temos recebido. Não há palavras que descrevam a minha gratidão! Obrigada Hélder Moutinho pela oportunidade de viver algo tão especial e um grande sonho! Agradeço a todos os envolvidos nesta aventura e os que permitiram que fosse possível tudo isto", lê-se nas contas oficias da cantora.
 
Valéria Carvalho soma vários prémios na sua carreira e está acostumada a cantar em casas de fado da cidade de Lisboa. Além dos palcos mais típicos da noite lisboeta, a cantora pisou palcos nacionais, como o Casino de Lisboa, o Teatro Camões, o Clube Farense ou a Casa da Música. Também já atuou em países como a Tunísia, França, Reino Unido, Canadá e Brasil. 
 


Carolina Deslandes: 'Por Um Triz' (Carolina Deslandes)

Carolina Deslandes apurou-se para a final com a balada 'Por Um Triz', tema que também assina. A cantora e compositora vai voltar a subir ao palco para dar voz a uma viagem suave pelo imaginário dos clássicos do cinema a preto e branco. Vai estar acompanhada por Diogo Clemente na guitarra e Sandra Martins no violoncelo.

"Esta é uma canção que celebra o 'quase'. Nunca celebramos o quase, o quase é associado à frustração e à derrota. Mas o quase é um caminho, muitas vezes de amor, de esforço, de entrega. Ser 'quase' tudo num mundo de nadas é um privilégio. E foi isso que quis celebrar, as histérias que por serem 'quases' não merecem lugar no pódio", escreveu a cantora sobre o tema na conta oficial de Instagram. 

No final do ano passado, Carolina Deslandes foi distinguida, pelo segundo ano consecutivo, com o Prémio Cinco Estrelas "Personalidade na área da Música". Foi também em novembro que a cantora lançou o seu último trabalho, o EP "Mulher", com o foco virado para a luta contra a violência doméstica. 
 



NEEV: 'Dancing in The Stars' (NEEV) 
 
O músico e compositor, de 26 anos, leva o tema 'Dancing in The Stars' à grande final do festival.

Sobre canção finalista, o multi-instrumentista diz que é sobre "algo que partiu fisicamente da nossa vida, mas que continua espiritualmente connosco de forma tão intensa que continua a dar propósito e sentido a um presente que, quando olhado de frente, sabe a vazio".

NEEV, cuja música já ultrapassou fronteiras, editou o álbum de estreia - "Philosotry" - em setembro de 2020. Na produção do seu primeiro disco, o jovem músico trabalhou inicialmente com Chris Bond (produtor de Ben Howard), mas cedo entendeu que necessitava de um produtor com uma visão distinta. Encontrou o que procurava no conceituado produtor Larry Klein (Joni Mitchell, Herbie Hancock, Melody Gardot, Tracy Chapman), que se refere a NEEV como "o Prince português".
 


Pedro Gonçalves: 'Não Vou Ficar' (Pedro Gonçalves)
 
'Não Vou Ficar' é o tema com que o jovem músico e produtor vai tentar chegar ao palco da Eurovisão. Pedro Gonçalves é um dos dois compositores escolhidos no concurso de livre submissão de canções, ao qual concorreram cerca de 700 canções. 

"A 'Não Vou Ficar' é isto. É a luta, quando tantas vozes na vida e na internet gritam com raiva e ódio inexplicáveis. É a luz, quando tudo parece estar mais escuro. É o ritmo e a alegria que nos fazem querer dançar enquanto esquecemos o que a nossa alma está realmente a cantar. É a vida que, para mim, simboliza o Festival da Canção. É o passado, o presente e o futuro. Uma viagem nostálgica sonora e visual. Havendo ou não personagem, roupa e penteado adequados e quem o entenda ou não, sou eu. Eu e uma banda maravilhosa a dar um concerto em tempos que, infelizmente, não nos permitem. E só por isso, o meu coração está cheio", escreveu o músico nas redes sociais sobre a canção que leva a concurso.

Em 2017, Pedro Gonçalves participou pela primeira vez no Festival da Canção com o tema 'Don't Walk Away', da autoria de João Pedro Coimbra, conseguindo o 6.º lugar na grande final do festival na edição desse ano.
 


 
Sara Afonso: 'Contramão' (Filipe Melo/Teresa Sequeira)
 
A cantora algarvia vai dar voz ao tema 'Contramão', embora esteja no sentido certo a caminho da Eurovisão. Sara Afonso canta desde pequena e começou a ter aulas de música e dança quando tinha apenas 10 anos. A cantora, que nasceu em 1991, frequentou o Conservatório de Faro em canto lírico e frequentou as aulas de ballet e dança contemporânea na Companhia de Dança do Algarve. Também teve aulas no Hot Clube de Portugal, mas em 2014 foi viver para Casablanca, em Marrocos, onde esteve três anos. Sara Afonso voltou para Portugal para continuar a ter aulas no Hot Clube. Atualmente, a cantora, de voz emocional, envolvente e doce, estuda jazz na Escola Superior de Música de Lisboa.
 



EU.CLIDES: 'Volte-Face' (Pedro da Linha/TOTA)

O músico EU.CLIDES conquistou um lugar na final com o tema 'Volte-Face', da autoria de Pedro da Linha e letra de TOTA. Nascido em Cabo Verde em 1996, o músico cresceu e estudou em Portugal. Quando tinha apenas oito anos EU.CLIDES entrou para o Conservatório de Música, em Aveiro, onde enveredou pela guitarra clássica. Em 2016, o músico mudou-se para Paris onde conheceu artistas do mundo inteiro. Foi precisamente nessa altura que se fez à estrada com os Daara J Family, grupo originário do Senegal, e, mais tarde, com a artista cabo-verdiana Mayra Andrade. Em 2020, EU.CLIDES editou o primeiro single, 'Terra-Mãe'. Seguiram-se os temas 'Ira Para Quê?' e 'Tempo Torto' que divide com Branko.
 
"Este sábado foi mesmo louco! Pude pisar o palco do @festivaldacancao.rtp com uma canção que fiz com um dos melhores produtores que conheço @pedrodalinha. E estou mesmo super feliz por terem gostado e terem votado em nós para irmos à final! É um enorme prazer poder fazê-lo junto de pessoas tão especiais para a música portuguesa!", escreveu o finalista nas redes sociais na noite em que soube que ia marcar presença na disputa final pela Eurovisão.
 


 

The Black Mamba: 'Love Is On My Side' (Pedro Tatanka)

A voz dos The Black Mamba também leva a balada 'Love Is On My Side' - e os companheiros de banda - à última etapa da corrida para a Eurovisão. É a estreia do grupo no Festival da Canção.

O último disco que os The Black Mamba editaram, "The Mamba King", foi em 2018. É terceiro álbum de originais do coletivo português. Em 2019, a banda andou na estrada com a "Good Times Tour", um regresso às origens, em trio, para celebrar os dez anos de carreira. 

"Meu people, se a cantiga 'Love Is On My Side' é a vossa favorita, então, esta mensagem é para vocês. As votações para a final do @festivaldacancao.rtp já abriram e confesso que seria bem nice ir cantar a Rotterdam, cidade onde vivi no início do século. A nossa song é a número 10. Agora é votar até partir o telemóvel... And always remember... love is on our side", escreveu Pedro Tatanka nas redes sociais.

 

 

Na final de amanhã, com vista para Roterdão, as votações do júri serão feitas por representantes de sete regiões de Portugal Continental e ilhas. Em caso de empate, prevalece a escolha do público.