Presidenciais: DGS assegura que haverá mais mesas de voto e medidas para evitar aglomerações durante pandemia

Agência Lusa
05 janeiro 2021, 18:50

A diretora-geral da Saúde afirma que no dia das eleições presidenciais haverá mais mesas de voto e outras medidas para evitar aglomerações de pessoas, no âmbito da contenção de contágios pelo novo coronavírus.

Na conferência de imprensa de acompanhamento da covid-19, Graça Freitas referiu que ?a Comissão Nacional de Eleições e os ministérios respetivos? envolvidos na preparação das presidenciais marcadas para dia 24 estão ?a estudar a forma de, nos locais em que as eleições vão acontecer, não se verificarem aglomerados?.

Isso passará pelo aumento do número de mesas de voto e pela criação de regras de acesso como as que se verificam para lojas e outros estabelecimentos comerciais.

?Sabemos que temos as salas para votar, que serão em maior número para dispersar mais as pessoas e depois, as regras serão semelhantes às que já existem para outros estabelecimentos comerciais?, declarou.

Graça Freitas indicou que mais perto da data das eleições se fará apelo aos eleitores para ?diferirem ao longo do dia a sua deslocação? às mesas de voto.

?Quanto mais se dispersarem, menos concentração?, argumentou.

Portugal contabiliza pelo menos 7.286 mortos associados à covid-19 em 436.579 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O estado de emergência decretado em 09 de novembro para combater a pandemia foi renovado até 07 de janeiro, com recolher obrigatório entre as 23:00 e as 05:00 nos concelhos do território do continente de contágio mais elevado.