Gás metano na origem de evacuação de escola na Guarda

Oitenta alunos da Escola do 1.º Ciclo do Ensino Básico da Estação, na Guarda, foram esta tarde retirados do edifício.

Agência Lusa
24 novembro 2020, 19:21

Oitenta alunos da Escola do 1.º Ciclo do Ensino Básico da Estação, na Guarda, foram esta tarde retirados do edifício devido a gás metano libertado da fossa de uma oficina das proximidades, segundo fontes da proteção civil.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda disse à agência Lusa que inicialmente tudo indicava tratar-se de uma fuga de gás canalizado, mas as autoridades apuraram, mais tarde, tratar-se de uma fuga de gás metano.

“Concluiu-se que o cheiro era de gás metano [que estava a ser libertado da fossa] de uma oficina [de uma empresa de transportes] situada em frente da escola, que estava a ser alvo de limpeza”, referiu à Lusa Paulo Alves, chefe dos Bombeiros Voluntários da Guarda.

Devido à ocorrência, por indicação do médico da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) da Guarda, que compareceu no local, três crianças foram transportadas para o serviço de urgências do hospital local.

Duas das crianças apresentavam sintomas de má disposição (vómitos) e uma de ansiedade, segundo o CDOS.

A fonte acrescentou que após o alerta, pelas 14:37, as crianças foram retiradas da escola e “transportadas para um local seguro”, tendo regressado ao edifício pelas 16:00.

Estiveram no local 16 elementos dos Bombeiros Voluntários da Guarda, da PSP, da proteção civil municipal e da VMER, auxiliados por sete viaturas.