Alojamento Local vive "momento crítico": 55 mil famílias dependem do setor que está em dificuldades

Associação do Alojamento Local em Portugal (ALEP) lamenta que as propostas que constam do Orçamento do Estado para 2021 não respondam às necessidades dos empresários.

Redação
13 novembro 2020, 11:24

A pandemia de Covid-19 obrigou a uma "travagem a fundo" no turismo, o que deixou os operadores de Alojamento Local numa situação complicada.

O presidente da Associação do Alojamento Local em Portugal (ALEP), adianta que 55 mil famílias dependem do negócio do alojamento local e estão agora a enfrentar um "momento crítico".  "Estes empresários estão muito fragilizados que estão sem apoio", diz Eduardo Miranda.

 

 

A ALEP lamenta que as propostas que constam do Orçamento de Estado para o próximo ano não respondam às necessidades dos empresários. 

 

 

O presidente da ALEP, Eduardo Miranda, lembra que nesta segunda vaga da pandemia são precisos outro tipo de apoios. "Saíram algumas medidas que foram importantes para a primeira vaga, mas agora precisamos de medidas mais robustas a fundo perdido", explica.

 

 

Na luta pela sobrevivência, os empresários de Alojamento local têm procurado alternativas. "A maior parte (dos empresários) tenta encontrar mercado de média duração, outros tentam junto da comunidade estudantil. O objetivo é encontrar soluções inovadoras de utilização destes espaços", afirma Eduardo Miranda.

 

 

Apesar das dificuldades atuais do setor, Eduardo Miranda não tem dúvidas de que o alojamento local será "fundamental" na retoma do turismo e da economia.