Covid-19: Centro Distrital de Retaguarda do Porto recebe hoje primeiros doentes

O espaço, no Seminário do Bom Pastor, em Valongo, foi cedido pela Diocese do Porto.

Redação / Agência Lusa
26 outubro 2020, 08:43

O primeiro Centro Distrital de Retaguarda covid-19 do Porto, que vai funcionar em Ermesinde, concelho de Valongo, com 50 camas, recebe os primeiros doentes segunda-feira à tarde, revelou hoje o presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil. "Terá 50 camas, numa primeira fase, mas está preparado para passar a 80 se as necessidades assim o exigirem", disse à agência Lusa Marco Martins, que é também presidente da Câmara Municipal de Gondomar.

O Centro Distrital de Retaguarda covid-19 do Porto vai funcionar no pavilhão 04 do Seminário do Bom Pastor, em Valongo, cedido pela Diocese do Porto. O espaço, cuja cedência e montagem foi anunciada na última segunda-feira, servirá para receber doentes em condições de continuar a recuperação fora dos hospitais, mas que não tenham retaguarda ou condições em casa ou nas instituições onde vivem. Marco Martins adiantou que "as primeiras transferências" devem ocorrer segunda-feira "até ao final da tarde", uma vez que "de manhã a ARS-N [Administração Regional do Norte] fará, junto dos hospitais do distrito, a seleção e hierarquização de prioridades".

"A prioridade é para quem vem dos hospitais. De manhã será feita essa seleção. Também acautelámos a possibilidade de receber algum caso mais complicado de lares, mas como se sabe está estabelecido que para os lares o primeiro patamar de retaguarda é municipal, passando a distrital em caso de necessidade", disse Marco Martins. O autarca falava à Lusa após uma reunião da Comissão Distrital de Proteção Civil, que decorreu hoje de tarde, e na qual, além de responsáveis da área da saúde e das autarquias, também participou via 'zoom' (plataforma 'online' à distância) o secretário de Estado Eduardo Pinheiro, que é também responsável pela coordenação da situação de calamidade na região Norte do país.

De acordo com Marco Martins, na reunião "operacional e de coordenação" de hoje também ficou definido "procurar e preparar rapidamente" um segundo Centro Distrital de Retaguarda covid-19 para o distrito do Porto, "possivelmente na região do Tâmega e Vale do Sousa". "Este [Seminário do Bom Pastor] é o primeiro centro de retaguarda do país a funcionar nestes moldes. O Porto servirá de piloto para se partir para outras soluções do género. Temos consciência que, com o aumento do número [de infeções], poderemos ter de avançar para mais equipamentos. Esta semana reuniremos para decidir", disse o autarca.

Na sexta-feira, o secretário de Estado Eduardo Pinheiro disse à Lusa que, no caso do Tâmega e Vale do Sousa, onde se regista um crescente número de infetados, a capacidade do hospital seria reforçada "já nestes dias". O governante admitiu que "os números são preocupantes, nomeadamente nos municípios Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira", concelhos do distrito do Porto para os quais o Conselho de Ministros decretou quinta-feira o dever de permanência no domicílio.

"As medidas vão sendo adaptadas ao conhecimento que existe hoje sobre a covid-19, não há nenhuma razão para que haja uma cerca a nenhum destes municípios", afirmou Eduardo Pinheiro. Também na sexta-feira a ministra da Saúde disse que há concelhos na região Norte que "merecem maior preocupação" e estão a ser avaliados "muito concretamente" pelas autoridades de saúde, nomeadamente aqueles que ficam próximos de Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira.