'Estranho Déjà vu': Djokovic acerta nova bolada em juiz de linha

No mês passado o tenista sérvio foi desqualificado do US Open por razão idêntica. Djokovic fala de um "déjà vu estranho".

Redação
06 outubro 2020, 13:15

O tenista sérvio Novak Djokovic deparou-se com uma situação bastante familiar quando acertou, esta segunda-feira, pela segunda vez, no espaço de um mês, num juiz de linha com uma bola, no torneio Roland Garros, a decorrer em Paris. 

O ato involuntário assemelha-se ao do mês passado, em que o atleta foi desqualificado na quarta ronda do US Open, em Nova Iorque, por atingir uma juiza de linha no pescoço num momento de frustração.

Apesar de ter cometido o mesmo erro no jogo contra Karen Khachanov, Djokovic não foi desqualificado, isto porque acertou no juiz no decorrer do ponto. 

O juiz de linha, que levou com a bola na cara, não ficou ferido. 

 


 

Em confererência de imprensa, o tenista de 33 anos falou sobre o ocorrido.

"Foi um déjà vú estranho. Estou a tentar descobrir o nome do juiz de linha para saber se está bem, pareceu-me que ficou com uma pequena marca. Levou mesmo com a bola na cara, foi muito duro. Claro que as pessoas vão falar sobre isto dado o que aconteceu em Nova Iorque", afirmou o tenista. 

Djokovic sublinha que estes incidentes são comuns no ténis. 

O número um mundial, campeão do 'major' francês em 2016, eliminou o russo Karen Khachanov, 16.º colocado do 'ranking' ATP, em três renhidos 'sets', pelos parciais de 6-4, 6-3 e 6-3, para assegurar pela 14.ª vez a presença nos quartos de final de Roland Garros, igualando o registo do espanhol Rafael Nadal, 12 vezes campeão em Paris.

O tenista sérvio Novak Djokovic seguiuo grego Stefanos Tsitsipas e o russo Andrey Rublev, dois jogadores da nova geração, rumo aos quartos de final de Roland Garros, terceiro 'major' da temporada, que decorre em Paris.