Ronaldo 'bisa' mas Juventus é eliminada, Lyon e Manchester City nos 'quartos' da Champions

Juventus adia, por mais um ano, sonho de vencer a Liga dos Campeões.

Redação / Agência Lusa
08 agosto 2020, 07:18

Manchester City e Lyon marcaram hoje encontro nos quartos de final da Liga dos Campeões de futebol, ao eliminarem Real Madrid e Juventus, respetivamente, apesar de Cristiano Ronaldo ter estado perto de operar o 'milagre' em Turim.

O 'número 7' da Juventus ainda alimentou o sonho da presença em Lisboa, palco dos quartos de final, depois de o Lyon ter marcado muito cedo, logo aos 12 minutos, pelo internacional holandês Memphis Depay, o que obrigava a 'vecchia signora' a ter de marcar três golos e não sofrer mais nenhum para se qualificar, pois perdeu por 1-0 em França.

A tarefa afigurava-se quase impossível, atendendo ao futebol lento, previsível e sem criatividade da Juventus, lacunas que tem evidenciado exuberantemente no campeonato italiano, agravadas pela ausência do argentino Paulo Dybala, que vinha de uma lesão muscular e ficou no banco de suplentes.

À beira do intervalo, aos 43 minutos, Cristiano Ronaldo estabeleceu o empate, o que era fundamental para manter viva a chama do apuramento, na marcação de um penálti, por braço na bola de Depay, na sequência de um livre direto batido pelo médio bósnio Miralem Pjanic. 

Na segunda parte, o cariz do jogo não se alterou, mas eis que aparece Cristiano Ronaldo a 'tirar um coelho da cartola' a meia hora do fim, com um remate de pé esquerdo, inesperado, de fora da área, um grande golo, ao qual o compatriota Anthony Lopes, guarda-redes do Lyon, apenas conseguiu desviar a bola para o poste, antes de entrar. 

Tempo não faltava a Juventus para consumar a reviravolta, mas sentia-se que só seria possível se Cristiano Ronaldo tivesse outro rasgo de talento, que não veio a acontecer, mesmo depois de Maurizio Sarri, em desespero, ter lançado Paulo Dybala, aos 70 minutos, mas este ressentiu-se da lesão e, aos 84, foi forçado a abandonar o campo. 

No outro jogo de hoje dos oitavos de final, o Manchester City garantiu uma vaga em Lisboa, mas tem de agradecer ao central francês do Real Madrid, Raphael Varane, que teve uma noite desastrosa, ao oferecer os dois golos aos 'citizens'.

O primeiro foi logo aos nove minutos. Com a bola dominada na área, deixou-se desarmar por Gabriel de Jesus, que se limitou a passar a bola para Raheem Sterling fazer o golo à vontade, na pequena área. 

O Real Madrid reagiu muito bem e como corolário dessa reação empatou aos 28 minutos, por Karim Benzema, de cabeça, após cruzamento da linha de fundo de Rodrigo, deixando os 'merengues' a um golo de igualar a eliminatória, depois de terem perdido por 2-1 no Santiago Bernabéu, na primeira mão.

Com tudo em aberto para a segunda parte quanto ao desfecho da eliminatória, eis que Varane volta a comprometer, aos 69 minutos, ao falhar primeiro a interceção na bola e depois o passe atrasado de cabeça para Thibaut Courtois, que saiu curto e permitiu que Sterling se intrometesse e desviasse a bola do guarda-redes belga quando este saiu de entre os postes. 

O internacional português João Cancelo foi titular na posição de lateral esquerdo, face ao impedimento de Benjamin Mendy, por castigo, enquanto Bernardo Silva não entrou no onze, mas foi lançado em campo por Pep Guardiola aos 67 minutos, a render Phil Foden. 

Manchester City e Lyon vão defrontar-se nos quartos de final da Liga dos Campeões, em 15 de agosto, no Estádio de Alvalade, que vai acolher os jogos da fase final da prova, juntamente com o Estádio da Luz.

A Liga dos Campeões de futebol foi hoje retomada, quase cinco meses depois da suspensão, devido à pandemia de covid-19, após o jogo Leipzig-Tottenham, disputado em 11 de março.

Na inédita 'final a oito' da principal competição europeia de clubes estavam já Atalanta, Leipzig, Atlético de Madrid e Paris Saint-Germain, que superaram Valência, Tottenham, o campeão europeu Liverpool e o Borussia Dortmund, respetivamente, nos oitavos de final.

No sábado, ficará definido todo o quadro dos quartos de final, depois dos encontros Bayern de Munique-Chelsea (3-0, na primeira mão) e FC Barcelona-Nápoles (1-1).