Época 20/21: o que aí vem (ou não) no desporto

O público pode começar a regressar aos estádios, mas não para já, pelo menos em Portugal.

Ricardo Nascimento Agência Lusa
Paulo Rico
31 julho 2020, 07:50

Termina este sábado a mais longa época de futebol em Portugal. Praticamente um ano depois, chega ao fim a temporada 19/20, com a final da Taça de Portugal e com vários campeonatos nacionais suspensos precocemente devido à pandemia.

É ainda com o cenário de Covid-19 como pano de fundo que está a começar a nova época nalguns países europeus, como são os casos de Escócia, Bélgica ou França, cujas ligas arrancam já em agosto, mês que vai também receber inéditos formatos de Liga Europa e Liga dos Campeões, bem estendidos no tempo depois de um confinamento forçado de vários meses à escala mundial.

Também em agosto, começa a Liga2 em Portugal, depois de interrompida em março e com decisões administrativas que muito polémica causaram. Desta vez, a segunda liga profissional vai mesmo arrancar na segunda quinzena do mês, com medidas sanitárias muito semelhantes às da primeira liga que agora terminou. Assim, a época 2020/21, em Portugal, vai começar com bancadas despidas e com medidas apertadas que, diga-se, bom resultado deram até agora na primeira liga.

(Na imagem a festa do FC Porto, sem público)

 

 

 

Ainda assim, a ideia é que o público comece a regressar aos estádios de forma gradual. Sempre respeitando as regras de segurança, com máscaras e com o devido distanciamento. Ou seja, numa primeira fase, sempre com lotação reduzida, mas sempre tendo em conta a evolução da pandemia, cuja segunda vaga poderá ser uma realidade no outono.

Noutras modalidades, a retoma está também a ser gradual, estando previsto o regresso de público aos grandes prémios de Fórmula 1 e de Moto GP, numa fase mais avançada da prova, sempre sob medidas sanitárias apertadas, tal como tem acontecido já no futebol noutros países, como Dinamarca ou Polónia, sendo que França (imagem do jogo do PSG na semana passada )permite até 5 mil pessoas nas bancadas enquanto Alemanha e Espanha querem o regresso do público já na nova época, em setembro.

 

 

 

Um pouco mais atrasado está essa possibilidade em recintos fechados para desportos coletivos. Tem a palavra a evolução da pandemia!