Covid-19: Taxas de ocupação no alojamento local em "níveis baixíssimos"

Associação de Alojamento Local de Portugal revela que há zonas do país onde as reservas são praticamente inexistentes. Procura por parte de turistas em zonas urbanas com quebras de 80%.

Tânia Paiva
07 julho 2020, 17:19

A Associação de Alojamento Local de Portugal (ALEP) diz que a situação para os próximos meses é muito preocupante.

Eduardo Miranda, presidente da ALEP, revela que há zonas do país em que a procura é praticamente inexistente e que mesmo junto às zonas balneares, as taxas de ocupação são baixíssimas.

 

 

Eduardo Miranda diz que a recente decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos corredores de viagem internacional veio agravar ainda mais a situação. O dirigente da ALEP afirma que esta posição de Inglaterra veio penalizar a pouca esperança que havia de retoma para este setor. 

 

 

Além dos inúmeros cancelamentos por parte dos turistas ingleses, ?a decisão do Reino Unido está a ter um efeito dominó, porque a imagem de Portugal ficou prejudicada para outros mercados, havendo mesmo registo de cancelamentos de reservas por parte de turistas de outras nacionalidades?, revela Eduardo Miranda. 

 

 

A procura por alojamento local em zonas urbanas como Lisboa e Porto está a ter quebras na ordem dos 80%, nas zonas balneares havia a expectativa de chegar aos 40/50% da ocupação.

Como nota positiva, o presidente da Associação de Alojamento Local de Portugal, destaca a procura que tem existido pelo interior e por outras zonas do país que habitualmente não eram procuradas para passar as férias de verão.