Elvira revisita o clássico 'Sonho Azul' de Né Ladeiras

Uma versão fresca que "puxa o tema para a pop no novo milénio". É o primeiro single do EP da cantora portuense cujo lançamento está previsto para o final do ano.

Redação
03 julho 2020, 16:26

 

Elvira deu um mergulho no imaginário da música portuguesa dos anos 80 e emergiu com uma versão do clássico que Né Ladeiras cantou em 1982. A cantora portuense, que já colaborou com Miguel Araújo ou Tiago Nacarato, chega com uma versão que "puxa o tema para a pop no novo milénio". Bruno Vasconcelos assina a produção. 

'Sonho Azul' é o primeiro avanço para o EP que a cantora vai editar no final deste ano e que conta com a colaboração de Bruno Vasconcelos e Nuno Figueiredo.

Elvira começou a escrever e compor temas desde cedo mas, assumidamente reservada, só mais tarde é que decidiu partilhá-los com o mundo. Os primeiros concertos, na altura ainda apenas para amigos ou em bares, eram à base de versões de outros artistas. Depois de ter passado quatro anos a estudar em Lisboa, em 2014, a cantora regressou ao Porto onde, no ano seguinte, criou o projeto musical Via com mais três elementos. 

Durante o período de confinamento devido à Covid-19, Elvira decidiu adoptar o nome próprio que herdou da bisavó, uma cantora de ópera numa época em que as mulheres que cantavam publicamente não eram muito bem vistas. Da bisavó, a cantora herdou também o arrojo e um piano de cauda que viria a fazer despertar o seu interesse pela música.

Autodidata na guitarra e no ukulele, Elvira sempre apostou na formação musical, tendo passado pela Escola Maiorff, pela Academia Valentim de Carvalho e posteriormente pela Faculdade Nova de Lisboa, onde se licenciou em Ciências Musicais. Estudou piano jazz no Hot Club e atualmente frequenta a ESMAE.