Covid-19: Autoridade Marítima lembra que muitas praias ainda estão sem vigilância

Nos últimos cinco dias foram realizados 65 salvamentos, em Portugal Continental, havendo uma vítima mortal a lamentar.

Ana Lucas
27 maio 2020, 18:37

A Autoridade Marítima Nacional (AMN) alertou hoje para os cuidados que os cidadãos devem ter nas praias, apontando para o “elevado” número de salvamentos registados e para a ausência de vigilância nestes espaços.

“Desde passado sábado foram registados 65 salvamentos em Portugal Continental, uma pessoa desaparecida e há a lamentar uma vítima mortal. É importante relembrar que algumas praias apresentam na sua área submersa efeitos da agitação marítima do inverno, observando-se fundões, declives acentuados, remoinhos e agueiros”, refere a AMN, num comunicado publicado na sua página na internet.

A AMN sublinha que “a época balnear só terá início em 06 de junho” e que até lá “a maioria das praias não tem vigilância permanente”, apelando, por isso, às pessoas para que “adotem um comportamento de segurança e evitem expor-se desnecessariamente ao risco”.

“É também de extrema importância cumprir as regras de distanciamento social e respeitar todas as indicações das autoridades, com o objetivo de reduzir a propagação da pandemia provocada pela covid-19”, aponta a nota.

Além disso, a AMN aconselha os banhistas a “vigiar permanentemente as crianças e não permitir que se afastem, mantendo-as sempre próximas de um adulto”, assim como a pedir ajuda através do 112 caso testemunhem uma situação de perigo dentro de água, ao invés de entrar no mar para tentar acudir.

Na terça-feira, o presidente da Federação Portuguesa de Nadadores-salvadores disse à agência Lusa que Portugal regista desde o início do ano 46 mortes por afogamento, mais 18 do que no mesmo período do ano passado.