NO AR:

Recebeu uma carta do vizinho mas...

A atitude que está a correr as redes sociais!

Entrar numa bulha com os vizinhos pode levar a anos de “guerra aberta”, na tentativa de tornar a vida um do outro num inferno. Foi por isso que quando @Binhcao recebeu uma carta, começou a preparar-se para se defender contra uma queixa de ruído. A carta começava com: “Olá vizinho, gostaria de falar sobre a música que ouve”.

Na carta dizia: “Querido vizinho. Eu vivo na casa do lado e gostaria de falar sobre a música que ouve.
1) Meta isso mais alto. Não estou a brincar! A musica é boa!
2) Diga-me que músicas anda a tocar. Eu preciso de metê-las na minha playlist.
3) Não estou a ser irónico, de todo, gosto imenso da música que tem tocado desde que se mudou. Cumprimentos, Todd (o homem do casal do lado).
Mande-me essas músicas!”
No final o vizinho assinou à mão: “Não é brincadeira - Boa música!”.

Na carta dizia: “Querido vizinho. Eu vivo na casa do lado e gostaria de falar sobre a música que ouve. 1) Meta isso mais alto. Não estou a brincar! A musica é boa! 2) Diga-me que músicas anda a tocar. Eu preciso de metê-las na minha playlist. 3) Não estou a ser irónico, de todo, gosto imenso da música que tem tocado desde que se mudou. Cumprimentos, Todd (o homem do casal do lado). Mande-me essas músicas!” No final o vizinho assinou à mão: “Não é brincadeira - Boa música!”.

No twitter o homem publicou uma fotografia com a mensagem deixada pelo vizinho. A descrição dizia: “O oposto de uma queixa por ruído. E ainda me deixou umas cervejas frias!”.

O tweet já conta com mais de meio milhão de likes, e um dos utilizadores escreveu: “Espera lá, não podes partilhar isto sem um link para a tua playlist. Eu preciso de saber o que o Todd está a ouvir!”. Em resposta, o homem partilhou o link para uma playlist de 100 músicas com a mensagem: “Aqui está a playlist que eu fiz: inspirada pelo Todd e dedicada a todos os vizinhos boa onda!”.

Outros utilizadores começaram a partilhar histórias parecidas, um escreveu: “Eu anoto a energia deste tweet. Fez-me lembrar de quando um vizinho disse que me ouviu cantar. Estava à espera que se queixasse que cantava alto… mas acabou por me convidar para uma sessão de canto, porque eu tinha “uma boa voz””.  Outro disse: “Eu fiz isso com o meu vizinho em Edimburgo enquanto ele estava numa festa a tocar Miles Davis... foi tããããããããão bom!”