Regata de Portugal quer transforma a vela "num mega espetáculo"

A segunda edição da Regata de Portugal acontece entre 30 de maio e 2 de junho. Vão estar em prova 24 velejadores.

15 de maio de 2019 às 13:16Regata de Portugal quer transforma a vela "num mega espetáculo"

Contagem decrescente para a segunda edição da Regata de Portugal que, mais uma vez, acontece no Terminal de Cruzeiros de Lisboa.

Novas datas e um novo conceito: além das competições, que acontecem sempre ao final do dia, o evento conta, ainda, com um palco flutuante e arraiais no Rio Tejo que servirão para antecipar a celebração dos Santos Populares.

Segundo Francisco Mello e Castro, da organização, o objetivo desta competição é "desconstruir a ideia de que as regatas não são para toda a gente". "Queremos massificar estas provas e trazer a população à beira-rio", acrescenta.

São mais de 30 provas "que vão transformar o Tejo num autêntico espetáculo, em água e em terra", garante Francisco Mello e Costa. Desta vez, a prova chega mais cedo, depois da primeira edição ter acontecido em outubro do ano passado. "Queremos proporcionar o melhor evento a quem nos visita e esta é a melhor altura do ano", diz.

9 horas de programação diária "para todos os gostos"

A Regata de Portugal vai contar com oito equipas em prova e 24 velejadores nacionais e internacionais. A competição arranca, todos os dias, às 17h00 e só terminam ao pôr do sol.

O conceito é simples: os barcos partem todos ao mesmo tempo e quem chegar em primeiro lugar acumula um ponto, o segundo classificado dois pontos e assim sucessivamente. No final, o objetivo é somar o menor números de pontos possível para atingir o topo da classificação geral.

Em prova estarão os barcos Diam 24, trimarãs que podem chegar aos 45 km/h em menos de 10 segundos e que são considerados os "Fórmula 1" destas competições. "São provas muito rápidas e emocionantes", garante Francisco Mello e Castro.

Assim que terminam as regatas, segue a festa no palco flutuante, com arraiais à beira-rio e com propostas gastronómicas "para quem quiser aproveitar a boa onda da cidade em altura de Santos Populares".

"Queremos transformar a vela num mega espetáculo", explica Francisco Mello e Castro que adianta, ainda, que o "sonho" é levar a Regata de Portugal a outras cidades do país, já a partir do próximo ano.

A Rádio Comercial é um dos parceiros do evento e, este ano, também se lança à competição. No comando do barco da Rádio Comercial estará o velejador Jorge Lima, o único português já qualificado para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

  • Partilhar

Caso tenha algum comentário a fazer:

Back to Top