Greve Climática Estudantil: o tempo não espera, nem os mais novos

São esperadas mais de 20 manifestações em todo o país. Os protestos começam às 10h30 (09h30 nos Açores).

15 de março de 2019 às 07:00Greve Climática Estudantil: o tempo não espera, nem os mais novos

Os estudantes portugueses saem hoje à rua em todo o país. A primeira Greve Climática Estudantil acontece em mais de 20 cidades de norte a sul do país, sem esquecer as regiões autónomas.

Inspirados pela jovem sueca Greta Thunberg, que tem encorajado os mais novos a juntarem-se aos protestos e que foi nomeada por três deputados noruegueses ao Prémio Nobel da Paz, os alunos reivindicam políticas efetivas de proteção do meio ambiente.

O apelo tem sido feito pelas redes sociais, através dos movimentos #SchoolStrike4Climate e #FridaysForFuture, e as manifestações estão marcadas para as 10h30 (09h30 nos Açores) desta sexta-feira.

Em Lisboa, Matilde Alvim, estudante da Escola Secundária de Palmela, lidera este protesto "pacífico, não-violento, determinado e organizado, descentralizado e não-partidário". "Queremos acabar com a exploração de combustíveis fósseis, que seja feito um melhoramento efetivo das redes de transportes públicos, queremos que Portugal aposte na produção de energias renováveis e que o prazo para a Neutralidade Carbónica 2050 seja reduzido", explica Matilde.

 

Jovens querem uma mudança de paradigma

De Braga ao Porto, passando por Coimbra ou Lisboa, os estudantes portugueses querem que as alterações climáticas passem a ser uma prioridade para o Governo. Os mais novos saem das salas de aula e levam às ruas palavras de ordem em nome do ambiente.

Em Lisboa, onde é esperado um dos maiores grupos desta manifestação, os estudantes vão concentrar-se no Largo de Camões e seguem, depois, até à Assembleia da República. "Independentemente do local do protesto, vamos ter sempre um microfone aberto e vamos dar voz a todos os interessados", diz Matilde Alvim.

 

Estima-se que este movimento aconteça em mais de meia centena de países de todo o mundo e, ao que tudo indica, este é apenas o primeiro capítulo de uma luta que se quer a nível global. "Em vários países os alunos fazem greves todas as semanas. Em Portugal vai depender da maneira como quisermos organizar o movimento a partir de hoje, mas é para continuar este plano de ação até que o Governo faça das alterações climáticas a sua prioridade", explica a aluna de 17 anos.

As concentrações estão marcadas para as 10h30 em Portugal e às 09h30 nos Açores. A Greve Climática Estudantil vai mobilizar, esta manhã, centenas de estudantes em todo o país.

  • Partilhar

Relacionadas

  • Quantos estudantes portugueses vão parar pelo clima amanhã?
    14 de março de 2019
    Quantos estudantes portugueses vão parar pelo clima amanhã?

Caso tenha algum comentário a fazer:

Back to Top