ANTRAM faz ultimato ao Governo e admite juntar-se a protestos

Associação Nacional dos Transportadores de Mercadorias dá quatro dias ao Governo para obter resposta às exigências sobre o preço dos combustíveis.

28 de maio de 2018 às 17:52ANTRAM faz ultimato ao Governo e admite juntar-se a protestos

A Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) dá um prazo de quatro dias ao Governo para obter uma resposta às reivindicações que foram feitas na reunião desta manhã com a tutela. 

Entre as exigências está a redução do preço dos combustíveis, especificamente o preço do gasóleo profissional. 

Em comunicado, a ANTRAM diz mesmo que caso não obtenha uma resposta no prazo dado ao Governo, os associados podem decidir avançar com ações de luta, entre elas a greve. 

As associações que representam este setor dizem que a rentabilidade das empresas de transporte de mercadorias está em risco devido ao preço que têm de pagar pelo combustível. 

A ANTRAM diz que entre as propostas apresentadas está, por exemplo, "o alargamento do regime do gasóleo profissional por mais dois anos, o alargamento relativo ao número de litros (passando do benefício dos 30 mil para os 50 mil litros) e, ainda, o alargamento da tipologia dos veículos (passando a abranger veículos a partir das 7.5 toneladas) ". 

Na reunião que decorreu esta segunda-feira de manhã com o Secretário de Estado das Infraestruturas, a ANTRAM propôs também que "a majoração com os custos de combustíveis, para efeitos de IRC, passe para os 130% e ainda a majoração com os custos das portagens".

Além da ANTRAN, também a Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas (ANTP) marcou presença no encontro desta manhã, no dia em que arrancou um protesto dos camionistas contra o elevado preço dos combustíveis. 

 

  • Partilhar

Caso tenha algum comentário a fazer:

Back to Top