Dead Combo nos Armazéns do Chiado de graça

Atuação às 18h00 de 21 de abril, no centro histórico de Lisboa.

11 de abril de 2018 às 17:32Dead Combo nos Armazéns do Chiado de graça

Começa a tornar-se uma agradável rotina os concertos gratuitos, ao final da tarde, de músicos nacionais de nomeada nos Armazéns do Chiado, em Lisboa, diante de um público que faz da inclinada Rua Garrett um anfiteatro improvisado.

No dia 21 de abril, às 18h00, é a vez da dupla de instrumentais Dead Combo atuar neste regime. Tudo isto para apresentar ao vivo o seu novo álbum "Odeon Hotel". O projeto alfacinha-cosmopolita, formado pelo guitarrista Tó Trips e pelo multi-instrumentista Pedro Gonçalves (guitarras, contrabaixo, melódica e pianinho), vai ser acompanhado ao vivo por mais três músicos: o baterista Alexandre Frazão, o saxofonista dos Xutos, Gui, e o contrabaixista e guitarrista António Quintino.

Lisboa é meramente o porto de partida para o mundo. Porque o mundo vem ter com os Dead Combo. Ou, neste caso, a "Odeon Hotel". E logo o norte-americano Mark Lanegan, ex-grunger dos Screaming Trees e filho musical de Tom Waits, que canta o poema escrito em inglês por Fernando Pessoa, 'I Know, I Alone'. O produtor de "Odeon Hotel", Alain Johannes, já não andava muito longe da rota musical dos Dead Combo, considerando o trabalho tido com PJ Harvey, além das "Desert Sessions". Os Queens of the Stone Age ou o próprio Mark Lanegan são outros nomes que este veterano de estúdio já trabalhou. Agora, esteve na cabina de "Odeon Hotel". Alexandre Frazão na bateria, Bruno Silva na viola d'arco, Mick Trovoada na percussão e João Cabrita nos sopros completam os créditos deste disco novo.

"Odeon Hotel" deve ser mais uma banda sonora lisboeta sem filme desta dupla especialista na boémia sensorial. O álbum sai nesta sexta-feira, 13. Não consta que os Dead Combo sejam supersticiosos.

 

 

  • Partilhar

Caso tenha algum comentário a fazer:

Back to Top