Miguel Araújo: "já me divirto em palco"

Continuação da entrevista ao músico que atua hoje e amanhã no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

10 de novembro de 2017 às 08:00Miguel Araújo: "já me divirto em palco"

O cantor maiato Miguel Araújo atua hoje e amanhã no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

Vai ser a estreia ao vivo de Miguel Araújo em nome próprio no Coliseu dos Recreios, apesar de conhecer bem os cantos à casa, fruto dos 14 concertos naquela sala com António Zambujo e do espetáculo com Os Azeitonas, o seu antigo grupo. "Quando fiz o Coliseu do Porto em 2014, tinha atuado no CCB [Centro Cultural de Belém, em Lisboa]", recorda o ex-Azeitonas.

 

 

Hoje, além dos Azeitonas e de João Só, Miguel Araújo vai reencontrar Jorge Palma. "A razão que nos juntou em palco pela primeira vez no Festival F [em Faro, este ano] foi o Bob Dylan", quando fizeram juntos a versão de 'Like a Rolling Stone'. Esta noite, é quase certo que Miguel Araújo e Jorge Palma reavivem o reportório de Bob Dylan à sua maneira.

 

 

Miguel Araújo vai ter também consigo os seus tios em palco: "Os Kapas é uma banda formada por tios meus e por alguns amigos desses meus tios - um deles já morreu há uns anos mas está connosco em espírito. Nos anos 60, juntavam-se semi-profissionalmente na zona do Porto e no norte do país, nas Queimas das Fitas. Tocavam covers dos Beatles, do Dylan, dos [Rolling] Stones e chegaram a ser a banda de suporte do Duo Ouro Negro quando tocava de Coimbra para cima. Chegaram a ser praticamente profissionais mas não seguiram esse caminho. Têm outras profissões. E agora juntam-se por lazer e recriação todas as segundas-feiras à noite. Desafio-os para estas coisas. Ao princípio, fazem-se difíceis mas acabam por aceitar". "Um é pediatra, outro é cirurgião vascular, outro é mediador de seguros".

 

 

Miguel Araújo refere à Rádio Comercial que "a espinha dorsal dos concertos [nos coliseus] é mais ou menos a mesma. Uma parte do concerto é dedicada ao disco novo, 'Giesta'. O setlist não vai ser rigorosamente igual mas vai ser muito parecido. Na segunda metade, são outras músicas minhas feitas por outras pessoas. A Ana Moura vai cantar uma música que não posso dizer qual é. O João Só e eu vamos tocar uma música que fizemos os dois juntos. A segunda metade do espetáculo serve para dar azo às parcerias que fui acumulando ao longo destes últimos anos".

 

 

Entretanto, os dias de fobia de palco já lá vão: "Não faço isto por uma questão de diversão pessoal. Antigamente, não me divertia minimamente porque tinha muito pouco à-vontade em palco. Não fazia isto para me divertir, se fosse para me divertir faria outra coisa qualquer. Para mim, estar em palco era uma questão bastante embaraçosa. Felizmente já me passou e desde há dois/três anos gosto de estar em palco. É uma benção maravilhosa. Além de tudo, divirto-me".

 

 

No fim-de-semana passado, Miguel Araújo deu dois concertos no Coliseu do Porto. A primeira parte da entrevista, que antecedia estes dois concertos na Invicta, pode ser revista neste link.

 

  • Partilhar

Caso tenha algum comentário a fazer:

PUB
Back to Top