Primeiro o jogo da Argentina, só depois o concerto dos U2

Banda irlandesa adiou esta madrugada o espetáculo na Argentina para que todos vissem o jogo de apuramento da equipa de Messi.

11 de outubro de 2017 às 11:00Primeiro o jogo da Argentina, só depois o concerto dos U2

Às vezes, mesmo para os fãs dos U2, valores mais altos se elevam que um concerto da sua banda preferida. Sobretudo, se forem argentinos que têm um jogo de futebol da seleção do seu país à mesma hora do mega-concerto. E mais delicado, se estiver em causa a qualificação da equipa das Pampas para o Mundial como era o caso de ontem. Não vencer o jogo desta madrugada contra o Equador significaria uma eliminação escandalosa e o afastamento da equipa de Messi do Rússia 2018.

A banda irlandesa - também com alguns fãs de futebol no seu seio, nomeadamente o adepto do Celtic e da seleção do seu país, Bono - atendeu à situação e percebeu que nem sempre o mundo gira à sua volta, mesmo que sejam estrelas estratosféricas do rock. Isto é, os U2 resolveram adiar o concerto de ontem na Argentina em quase duas horas. E a parafernália de ecrãs espalhados pelo Estadio Ciudad de La Plata passou a estar ao serviço da transmissão do Equador - Argentina, para regalo dos espetadores que tinham comprado os bilhetes do espetáculo da Joshua Tree Tour. Só depois do apito final do jogo é que os U2 subiriam ao palco.

O desabafo do produtor do espetáculo Daniel Grinbank ao jornal argentino La Nacion só podia convencer a nação de fãs dos U2: "Conseguem imaginar como é que o espetáculo vai ser logo após uma vitória da Argentina!? E se perderem, ao menos, podemos aliviar a amargura com um grande espetáculo. Não há como falhar". Estava dado o aviso.

E tudo correu bem. Messi esteve ao seu nível. Isto é, fez um hat-trick contra o Equador que carimbou os passaportes de toda a delegação futebolistica da Argentina para o Mundial - a seleção azul celeste ainda esteve a perder contra o Equador, mas depois deu a volta com uma vitória por 3-1. E os U2 também estiveram ao seu nível, com um espetáculo em que tocaram na íntegra o álbum de 1987 "The Joshua Tree", incluindo o tema 'Mothers of the Disappeared', dedicado às mães argentinas e chilenas que perderam os seus filhos durante as ditaduras militares que dominaram ambos os países nos anos 70. Durante o concerto, Bono não se esqueceu de Messi e até lhe deu estatuto de divindade: "Obrigado Messi, Deus existe!".

Portanto, o saldo é este: três golos de Messi, Argentina no Mundial, e um concerto de mais de duas horas, arrebatado pela alegria futebolistica a quente e por hinos dos U2 como 'Sunday Bloody Sunday' (logo para começar), 'Pride (In the Name of Love)', 'Where the Streets Have No Name', 'With or Without You' ou, a finalizar, a balada 'One'. Foi a dobrar, pouco importa se o regresso a casa foi mais tardio.

 

  • Partilhar

Caso tenha algum comentário a fazer:

PUB
Back to Top