Derby Eterno: dez grandes partidas entre Sporting e Benfica

Lourenço, Eusébio, Chalana, Jordão, Manuel Fernandes, João Viera Pinto, Luisão, Liedson ou Mitroglou são alguns dos heróis do duelo da 2ª Circular.

21 de abril de 2017 às 08:30Derby Eterno: dez grandes partidas entre Sporting e Benfica

O duelo deste sábado entre Sporting e Benfica, marcado para as 20h30 no Estádio de Alvalade, em Lisboa, leva-nos a recordar dez encontros históricos entre os eternos rivais, no Campeonato ou na Taça de Portugal. A viagem no tempo começa em 1965-66.

Benfica - Sporting: 2-4 (1965-66)
Contexto: 6ª jornada do Campeonato nacional.
O que se passou: o avançado sportinguista Lourenço consegue um inédito poker (4 golos) na Luz, algo jamais alcançado por outro leão no estádio do Benfica (nem Peyroteo, nem Manuel Fernandes, nem Liedson). O brilharete individual permitiu ao Sporting surpreender o super-favorito Benfica de Eusébio, Coluna, José Augusto, Torres e Germano.
Consequência: o Sporting tornar-se-ia campeão, com um ponto de avanço sobre o rival da 2ª Circular.
 

 

Benfica - Sporting: 3-2 A.P. (1971-72)
Contexto: final da Taça de Portugal, depois do Benfica alcançar com tranquilidade o bicampeonato, com dez pontos de avanço sobre o Vit. Setúbal e 12 sobre o Sporting.
O que se passou: uma das finais mais emocionantes de sempre da Taça de Portugal, com Benfica e Sporting a revezarem-se no domínio do jogo. Só Eusébio é que poderia desfazer este equilíbrio, com um hat-trick. Ao último golo (o decisivo) do King, a lei chama-lhe um livre direto, mas na verdade aquilo foi um míssil de longo alcance que nem Damas podia defender.
Consequência: o Benfica alcança a sexta das dez dobradinhas da sua história.
 

 

Benfica - Sporting: 5-0 (1978-79)
Contexto: 10ª jornada do campeonato nacional.
O que se passou: foi uma primeira parte avassaladora do Benfica de Chalana e Humberto Coelho que destroçou o Sporting de Manuel Fernandes e Salif Keita com cinco golos em 45 minutos. Nessa tarde, João Alves e Reinaldo estavam inspirados.
Consequência: no final do ano, tanto o Benfica como o Sporting morreram na praia. O gigante da Luz volta a perder pelo segundo ano consecutivo o campeonato na última jornada para o FC Porto de Pedroto. E o clube de Alvalade perdeu a final da Taça de Portugal no jogo de desempate, com o Boavista.
 

 

Sporting - Benfica: 3-1 (1981-82)
Contexto: é o jogo do título, à 23ª jornada do Campeonato. É um dos últimos dérbis ainda sem a Bancada Nova que fecharia o Estádio de Alvalade. Em 1982, os prédios do Lumiar ainda estavam bem à vista.
O que se passou: uma supremacia total do Sporting de Malcom Allison, mesmo quando se viu a perder com um golo polémico de Carlos Manuel, quando nem câmaras decifram se a bola tinha atravessado a linha. Mas é a grande asneira da vida do guardião benfiquista Bento que provoca o desequilíbrio fatal para a equipa vermelha, ao agredir dentro de área Manuel Fernandes: expulsão de Bento, penálti e uma noite de glória para Jordão que faz um hat-trick.
Consequência: o Sporting embala para uma época de boa memória, em que ganha o Campeonato e vence a Taça de Portugal. O que se seguiria foi um jejum recorde de 18 anos para o Sporting a nível de títulos de campeão. Foi também a última vez que o Sporting venceu um despique direto ao Benfica para o título de campeão.
 

 

Sporting - Benfica: 7-1 (1986-87)
Contexto: 14ª jornada do Campeonato, com o Sporting fora da corrida para o título e o Benfica numa luta acesa com o Porto.
O que se passou: a maior goleada de sempre de um derby! A partida até estava relativamente equilibrada até meio da segunda parte, até irromper uma avalanche de golos sportinguistas, especialmente Manuel Fernandes que faz um poker (quatro golos!). O grande Benfica era de repente a equipa mais fácil do mundo, mumificada pelas bolas que não paravam de entrar na baliza de Silvino.
Consequência: o Benfica festeja em Maio e Junho o título de campeão e a vitória da Taça de Portugal, ambos diante do Sporting, que ficou num dececionante 4º lugar na liga portuguesa.
 

 

Sporting - Benfica: 3-6 (1993-94)
Contexto: 12 anos depois, Sporting e Benfica voltam a disputar o título de campeão e o Derby Eterno recupera a velha aura. O Benfica estava com um ponto de vantagem e ao alcance de uns leões sedentos de títulos. Era a 30ª jornada - faltavam apenas mais quatro.
O que se passou: João Vieira Pinto teve o seu grande jogo de glória. Recorda-se muito os primeiros dois golos, do mais fino recorte individual, do seu hat-trick na primeira parte. Mas vejam o seu raide para o quinto golo que deixa vários alvi-verdes para trás, em finta e assistência perfeita para a bomba de Isaias. Num duelo entre duas grandes equipas (Paulo Sousa ou Balacov de um lado, Mozer ou Schwarz do outro), os elos mais fracos eram os guarda-redes Lemaji¿ e Neno.
Consequência: O Benfica faria 11 dias depois a festa do título no bracarense Estádio 1º de Maio, convertido em Estádio da Luz do norte. O Sporting caíria para o 3º lugar e perderia o jogo de desempate na final da Taça para o FC Porto. O período de seca manter-se-ia.
 

 

Benfica - Sporting: 1-3 (1999-2000, Taça de Portugal)
Contexto: oitavos-final da Taça de Portugal.
O que se passou: o Sporting mostrou de forma exuberante que estava bem melhor que o Benfica que se arrastava como um gigante adormecido. Acosta fez valer o cântico do "matador" ao estar de forma ativa nos três golos, dois deles marcados pelo avançado argentino. Mas havia mais jogadores em grande: o extremo italiano De Franceschi, o central André Cruz, o lateral direito César Prates e o muro na baliza Peter Schmeichel que deu negas a todos os remates de Nuno Gomes e de João Vieira Pinto.
Consequência: O Sporting alcançou a final mas foi derrotado na finalíssima pelo FC Porto. Mas conseguiria o mais desejado pela nação leonina: o título de campeão ao fim de 18 anos. A grande festança iniciaria um novo ritual adotado pelos adeptos de outros clubes e da seleção: os festejos junto à estátua do Marquês de Pombal. Tudo por causa do leão encostado ao Marquês.
 

 

Benfica - Sporting: 1-0 (2004-05)
Contexto: 33ª e penúltima jornada do Campeonato. Emoções ao rubro. Caso o FC Porto (também na corrida) não vencesse, quem ganhasse o derby seria campeão naquela noite.
O que se passou: Em mais de 500 jogos com a camisola do Benfica, Luisão fez a sua cabeçada mais importante neste jogo, aproveitando uma saída em falso do homem da baliza verde-e-branca Ricardo, a sete minutos dos 90. O Sporting de Peseiro, que se estava a destacar pela sua capacidade ofensiva, adotou uma estratégia surpreendentemente defensiva (consequência da ausência do castigado Liedson?). Pelo Benfica, o reforço de inverno Nuno Assis empurrou a sua equipa para a vitória.
Consequência: o Benfica torna-se campeão uma semana depois, no Estádio do Bessa, depois de uma inédita seca de 11 anos. O Sporting tem um dos desfechos mais dramáticos da sua história, ao perder o campeonato na penúltima jornada; e ao ser derrotado em pleno Estádio de Alvalade na final da Taça UEFA, perante o CSKA Moscovo.
 

 

Sporting - Benfica: 5-3 (2007-08)
Contexto: meia-final da Taça de Portugal, ainda dos tempos em que só havia uma mão. Os dois grandes de Lisboa estavam a fazer um campeonato dececionante, e a festa do tricampeonato portista já tinha sido feita.
O que se passou: quem sabe se não terá sido o jogo mais emocionante da era de Paulo Bento como técnico leonino. A segunda parte foi uma massacre sportinguista, que nem o guardião Quim, em grande forma, conseguiu evitar. O intervalo anunciava já o Benfica como finalista de uma primeira parte eficaz que lhe permitia a vantagem folgada de dois golos. Mas a entrada de Derlei e a inspiração da restante equipa (de Vuk¿evi¿ a Yannick Djaló, da formiguinha João Moutinho ao sempre fatal Liedson, sem esquecer o endiabrado Izmailov antes da era das lesões) tudo mudaram.
Consequência: o Sporting ganharia pelo segundo ano consecutivo a Taça de Portugal, com uma vitória no prolongamento diante do FC Porto. Numa época para esquecer, com três treinadores diferentes (Fernando Santos, Camacho e Fernando Chalana), o Benfica termina em 4º na Liga Portuguesa.
O jogo realizou-se a 16 de Abril de 2008 e não em 2007 como anuncia o vídeo.
 

 

Sporting - Benfica (2015-16)
Contexto: 25ª jornada. Jogo do título. Benfica está atrás do Sporting, apenas a um ponto.
O que se passou: o agora treinador sportinguista Jorge Jesus viveu uma tragédia grega. O sempre cirúrgico Mitroglou voltou a ser Mitrogolo, com assistência e insistência do compatriota Samaris e uma sorte que se tornaria um abuso na segunda parte, quando do outro lado da 2ª circular, vindo do outro lado do Atlântico, o costa-riquenho Bryan Ruiz tem um falhanço escandaloso à frente da baliza que ainda hoje deve interromper o sono de muitos sportinguistas. Culpem também o milagreiro guardião Ederson, que de substituto de Júlio Cesar passou a dono incontestável da baliza benfiquista naquele mesmo jogo.
Consequência: com uma ponta final impressionante de 12 vitórias seguidas, o Benfica assegura o tri por um triz, perseguido quase em cima por um Sporting que vence os nove jogos finais.
 

 

Textos: Gonçalo Palma

Timeline: Paulo Rico

  • Partilhar

Relacionadas

31 de março de 2017
SL Benfica - FC Porto: dez partidas históricas
03 de fevereiro de 2017
FC Porto - Sporting: dez jogos históricos

Caso tenha algum comentário a fazer:

Mais Notícias

Lista de vítimas de Pedrógão está em segredo de justiça
Pedrógão Grande: Autarcas sugerem divulgação da lista para serenar populações
Carta aberta dos Linkin Park a Chester Bennington
Sertã: Incêndio obrigou à retirada de mais de 150 pessoas de casa
Fotojornalistas recolhem 5 286 euros para Pedrógão
Incêndios: Vento, reacendimentos e poucos meios preocupam autoridades em Mação
Vem aí música nova de Pink
Pedrogão Grande: MP abre inquérito a morte em acidente de viação
Novo single de Louis Tomlinson
PUB
Back to Top