Derby Eterno: dez grandes partidas entre Sporting e Benfica

Lourenço, Eusébio, Chalana, Jordão, Manuel Fernandes, João Viera Pinto, Luisão, Liedson ou Mitroglou são alguns dos heróis do duelo da 2ª Circular.

21 de abril de 2017 às 08:30Derby Eterno: dez grandes partidas entre Sporting e Benfica

O duelo deste sábado entre Sporting e Benfica, marcado para as 20h30 no Estádio de Alvalade, em Lisboa, leva-nos a recordar dez encontros históricos entre os eternos rivais, no Campeonato ou na Taça de Portugal. A viagem no tempo começa em 1965-66.

Benfica - Sporting: 2-4 (1965-66)
Contexto: 6ª jornada do Campeonato nacional.
O que se passou: o avançado sportinguista Lourenço consegue um inédito poker (4 golos) na Luz, algo jamais alcançado por outro leão no estádio do Benfica (nem Peyroteo, nem Manuel Fernandes, nem Liedson). O brilharete individual permitiu ao Sporting surpreender o super-favorito Benfica de Eusébio, Coluna, José Augusto, Torres e Germano.
Consequência: o Sporting tornar-se-ia campeão, com um ponto de avanço sobre o rival da 2ª Circular.
 

 

Benfica - Sporting: 3-2 A.P. (1971-72)
Contexto: final da Taça de Portugal, depois do Benfica alcançar com tranquilidade o bicampeonato, com dez pontos de avanço sobre o Vit. Setúbal e 12 sobre o Sporting.
O que se passou: uma das finais mais emocionantes de sempre da Taça de Portugal, com Benfica e Sporting a revezarem-se no domínio do jogo. Só Eusébio é que poderia desfazer este equilíbrio, com um hat-trick. Ao último golo (o decisivo) do King, a lei chama-lhe um livre direto, mas na verdade aquilo foi um míssil de longo alcance que nem Damas podia defender.
Consequência: o Benfica alcança a sexta das dez dobradinhas da sua história.
 

 

Benfica - Sporting: 5-0 (1978-79)
Contexto: 10ª jornada do campeonato nacional.
O que se passou: foi uma primeira parte avassaladora do Benfica de Chalana e Humberto Coelho que destroçou o Sporting de Manuel Fernandes e Salif Keita com cinco golos em 45 minutos. Nessa tarde, João Alves e Reinaldo estavam inspirados.
Consequência: no final do ano, tanto o Benfica como o Sporting morreram na praia. O gigante da Luz volta a perder pelo segundo ano consecutivo o campeonato na última jornada para o FC Porto de Pedroto. E o clube de Alvalade perdeu a final da Taça de Portugal no jogo de desempate, com o Boavista.
 

 

Sporting - Benfica: 3-1 (1981-82)
Contexto: é o jogo do título, à 23ª jornada do Campeonato. É um dos últimos dérbis ainda sem a Bancada Nova que fecharia o Estádio de Alvalade. Em 1982, os prédios do Lumiar ainda estavam bem à vista.
O que se passou: uma supremacia total do Sporting de Malcom Allison, mesmo quando se viu a perder com um golo polémico de Carlos Manuel, quando nem câmaras decifram se a bola tinha atravessado a linha. Mas é a grande asneira da vida do guardião benfiquista Bento que provoca o desequilíbrio fatal para a equipa vermelha, ao agredir dentro de área Manuel Fernandes: expulsão de Bento, penálti e uma noite de glória para Jordão que faz um hat-trick.
Consequência: o Sporting embala para uma época de boa memória, em que ganha o Campeonato e vence a Taça de Portugal. O que se seguiria foi um jejum recorde de 18 anos para o Sporting a nível de títulos de campeão. Foi também a última vez que o Sporting venceu um despique direto ao Benfica para o título de campeão.
 

 

Sporting - Benfica: 7-1 (1986-87)
Contexto: 14ª jornada do Campeonato, com o Sporting fora da corrida para o título e o Benfica numa luta acesa com o Porto.
O que se passou: a maior goleada de sempre de um derby! A partida até estava relativamente equilibrada até meio da segunda parte, até irromper uma avalanche de golos sportinguistas, especialmente Manuel Fernandes que faz um poker (quatro golos!). O grande Benfica era de repente a equipa mais fácil do mundo, mumificada pelas bolas que não paravam de entrar na baliza de Silvino.
Consequência: o Benfica festeja em Maio e Junho o título de campeão e a vitória da Taça de Portugal, ambos diante do Sporting, que ficou num dececionante 4º lugar na liga portuguesa.
 

 

Sporting - Benfica: 3-6 (1993-94)
Contexto: 12 anos depois, Sporting e Benfica voltam a disputar o título de campeão e o Derby Eterno recupera a velha aura. O Benfica estava com um ponto de vantagem e ao alcance de uns leões sedentos de títulos. Era a 30ª jornada - faltavam apenas mais quatro.
O que se passou: João Vieira Pinto teve o seu grande jogo de glória. Recorda-se muito os primeiros dois golos, do mais fino recorte individual, do seu hat-trick na primeira parte. Mas vejam o seu raide para o quinto golo que deixa vários alvi-verdes para trás, em finta e assistência perfeita para a bomba de Isaias. Num duelo entre duas grandes equipas (Paulo Sousa ou Balacov de um lado, Mozer ou Schwarz do outro), os elos mais fracos eram os guarda-redes Lemaji¿ e Neno.
Consequência: O Benfica faria 11 dias depois a festa do título no bracarense Estádio 1º de Maio, convertido em Estádio da Luz do norte. O Sporting caíria para o 3º lugar e perderia o jogo de desempate na final da Taça para o FC Porto. O período de seca manter-se-ia.
 

 

Benfica - Sporting: 1-3 (1999-2000, Taça de Portugal)
Contexto: oitavos-final da Taça de Portugal.
O que se passou: o Sporting mostrou de forma exuberante que estava bem melhor que o Benfica que se arrastava como um gigante adormecido. Acosta fez valer o cântico do "matador" ao estar de forma ativa nos três golos, dois deles marcados pelo avançado argentino. Mas havia mais jogadores em grande: o extremo italiano De Franceschi, o central André Cruz, o lateral direito César Prates e o muro na baliza Peter Schmeichel que deu negas a todos os remates de Nuno Gomes e de João Vieira Pinto.
Consequência: O Sporting alcançou a final mas foi derrotado na finalíssima pelo FC Porto. Mas conseguiria o mais desejado pela nação leonina: o título de campeão ao fim de 18 anos. A grande festança iniciaria um novo ritual adotado pelos adeptos de outros clubes e da seleção: os festejos junto à estátua do Marquês de Pombal. Tudo por causa do leão encostado ao Marquês.
 

 

Benfica - Sporting: 1-0 (2004-05)
Contexto: 33ª e penúltima jornada do Campeonato. Emoções ao rubro. Caso o FC Porto (também na corrida) não vencesse, quem ganhasse o derby seria campeão naquela noite.
O que se passou: Em mais de 500 jogos com a camisola do Benfica, Luisão fez a sua cabeçada mais importante neste jogo, aproveitando uma saída em falso do homem da baliza verde-e-branca Ricardo, a sete minutos dos 90. O Sporting de Peseiro, que se estava a destacar pela sua capacidade ofensiva, adotou uma estratégia surpreendentemente defensiva (consequência da ausência do castigado Liedson?). Pelo Benfica, o reforço de inverno Nuno Assis empurrou a sua equipa para a vitória.
Consequência: o Benfica torna-se campeão uma semana depois, no Estádio do Bessa, depois de uma inédita seca de 11 anos. O Sporting tem um dos desfechos mais dramáticos da sua história, ao perder o campeonato na penúltima jornada; e ao ser derrotado em pleno Estádio de Alvalade na final da Taça UEFA, perante o CSKA Moscovo.
 

 

Sporting - Benfica: 5-3 (2007-08)
Contexto: meia-final da Taça de Portugal, ainda dos tempos em que só havia uma mão. Os dois grandes de Lisboa estavam a fazer um campeonato dececionante, e a festa do tricampeonato portista já tinha sido feita.
O que se passou: quem sabe se não terá sido o jogo mais emocionante da era de Paulo Bento como técnico leonino. A segunda parte foi uma massacre sportinguista, que nem o guardião Quim, em grande forma, conseguiu evitar. O intervalo anunciava já o Benfica como finalista de uma primeira parte eficaz que lhe permitia a vantagem folgada de dois golos. Mas a entrada de Derlei e a inspiração da restante equipa (de Vuk¿evi¿ a Yannick Djaló, da formiguinha João Moutinho ao sempre fatal Liedson, sem esquecer o endiabrado Izmailov antes da era das lesões) tudo mudaram.
Consequência: o Sporting ganharia pelo segundo ano consecutivo a Taça de Portugal, com uma vitória no prolongamento diante do FC Porto. Numa época para esquecer, com três treinadores diferentes (Fernando Santos, Camacho e Fernando Chalana), o Benfica termina em 4º na Liga Portuguesa.
O jogo realizou-se a 16 de Abril de 2008 e não em 2007 como anuncia o vídeo.
 

 

Sporting - Benfica (2015-16)
Contexto: 25ª jornada. Jogo do título. Benfica está atrás do Sporting, apenas a um ponto.
O que se passou: o agora treinador sportinguista Jorge Jesus viveu uma tragédia grega. O sempre cirúrgico Mitroglou voltou a ser Mitrogolo, com assistência e insistência do compatriota Samaris e uma sorte que se tornaria um abuso na segunda parte, quando do outro lado da 2ª circular, vindo do outro lado do Atlântico, o costa-riquenho Bryan Ruiz tem um falhanço escandaloso à frente da baliza que ainda hoje deve interromper o sono de muitos sportinguistas. Culpem também o milagreiro guardião Ederson, que de substituto de Júlio Cesar passou a dono incontestável da baliza benfiquista naquele mesmo jogo.
Consequência: com uma ponta final impressionante de 12 vitórias seguidas, o Benfica assegura o tri por um triz, perseguido quase em cima por um Sporting que vence os nove jogos finais.
 

 

Textos: Gonçalo Palma

Timeline: Paulo Rico

  • Partilhar

Relacionadas

31 de março de 2017
SL Benfica - FC Porto: dez partidas históricas
03 de fevereiro de 2017
FC Porto - Sporting: dez jogos históricos

Caso tenha algum comentário a fazer:

Mais Notícias

Final Taça de Portugal: Já há três detidos na mata do Jamor
Governo português vai à Venezuela apoiar comunidades
Já se almoça no Jamor
Sebastian Vettel vence Grande Prémio do Mónaco
Mais de mil toneladas de alimentos recolhidos por Banco Alimentar
Dia dos bombeiros marcado por protestos
British Airways quer retomar hoje a normalidade em Londres
António Costa diz que país ainda precisa de "muitas boas notícias"
Arsenal vence Taça de Inglaterra
PUB
Back to Top